Brasil estreia com apoio da torcida

No confronto contra o Egito, moradores de Bloemfontein estarão ao lado da seleção - dentro e fora do estádio

Luiz Antônio Prósperi, BLOEMFONTEIN, O Estadao de S.Paulo

15 de junho de 2009 | 00h00

O Brasil estreia na Copa das Confederações contra o Egito, campeão da África, hoje, às 11horas (de Brasília), no estádio Free State. Nada mais natural que a torcida sul-africana estivesse do lado dos egípcios. Engano. Bloemfontein vai torcer pelo Brasil, dentro e fora do estádio. A população local abraçou a seleção brasileira. Acompanhe todos os lances da estreia da seleção brasileiraDesde que chegaram à África do Sul, na quinta-feira, os jogadores do time pentacampeão têm sido tratados quase como "deuses". No primeiro treinamento, no Seisa Ramabodu, na periferia de Bloemfontein, os moradores da favela localizada ao lado do estádio deram um show de amor à seleção."É a primeira vez que venho à África do Sul. Fiquei surpreso pelo lado positivo. As coisas não são tão ruins como chegaram até nós. Vamos aprender muito aqui", disse Kaká, ontem. "A recepção tem sido calorosa."A expectativa, porém, é que o Free State não esteja lotado hoje. Com capacidade para 48 mil torcedores, 65% dos ingressos haviam sido vendidos - o mais caro a US$ 420 (R$ 810) e o mais barato, a US$ 140, de acordo com o site oficial da Fifa.FÃS X ÍDOLOSQuanto ao jogo, será um confronto de fãs contra ídolos. Como deixou claro Ahmed Hassan, capitão do Egito. "Nós, os egípcios, somos torcedores do Brasil. Este jogo será especial para todos nós. Vamos ser fortes e mostrar que temos uma grande equipe", declarou.Do lado dos ídolos, o desconhecimento sobre os adversários é total. "Temos pouco acesso ao futebol do Egito. Não conhecemos como o time vai jogar", entregou Kaká. "Hoje (ontem) a comissão técnica vai nos informar como eles jogam", revelou o meia do Real Madrid.Dunga, este sim, tem uma resposta pronta sobre o que vem pela frente hoje."Fora do campo falam que muitas seleções são ótimas, mas não provam quando estão no campo. O Egito já provou que é uma boa seleção. É o campeão da África, ganhou no campo", disse o treinador brasileiro.Afirmando que respeita, e muito, os egípcios, Dunga não revelou qual time pretende escalar para a estreia. É certo que vem com força máxima. A novidade é a volta do atacante Luís Fabiano, que ficou de fora da vitória por 2 a 1 conquistada sobre o Paraguai na partida disputada no Recife (PE), quarta-feira, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa.A ordem na seleção brasileira é arrancar forte na Copa das Confederações. Torcida, certamente, não vai faltar aos jogadores brasileiros. Os sul-africanos de Bloemfontein estão divididos entre a Bafama Bafama - como eles denominam sua seleção de futebol - e o time comandado por Dunga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.