Mowa Press
Mowa Press

Brasil estreia na 2ª fase com amplo favoritismo

Seleção comandada por Ney Franco enfrenta o Chile no início da etapa decisiva da competição, à 0h10 desta terça-feira

Wagner Vilaron, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2011 | 00h00

Uma sequência de cinco partidas separa o Brasil de uma das duas vagas sul-americanas nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. E a primeira delas será disputada na madrugada desta terça-feira, à 0h10 (horário de Brasília), quando começa o hexagonal decisivo do Campeonato Sul-Americano Sub-20, em Arequipa, no Peru.

O time comandado pelo técnico Ney Franco, que se classificou em primeiro no Grupo B, terá pela frente o Chile, segundo do A. As seis seleções se enfrentam em turno único. Além das vagas olímpicas, os quatro melhores vão ao Mundial, em julho, na Colômbia.

Com base nas observações que fez durante a primeira fase, Ney Franco modificou a equipe para a estreia na fase final. Além da volta de Neymar, poupado no último jogo, o volante Fernando e o atacante Willian ganharam vaga entre os titulares no lugar de Zé Eduardo e Henrique, respectivamente. Após a bela assistência que resultou no gol da vitória sobre o Equador, na última rodada, em Tacna, Oscar terá nova oportunidade. Diego Maurício fica como opção.

No caso de Fernando, a comissão técnica espera força na marcação pelo meio e proteção à zaga. O gol sofrido no empate por 1 a 1 com a Bolívia, lance no qual o zagueiro Bruno Uvini ficou no mano a mano com o atacante Ríos, deixou lições. "O Fernando tem uma pegada forte, estilo Pitbull", brincou o zagueiro Juan. "A marcação forte nos ajuda atrás e também para roubar a bola e armar contra-ataques."

Depois de uma estreia tímida, que lhe valeu a ida para o banco de reservas, Oscar se soltou mais diante dos equatorianos e reconquistou a confiança do técnico. Nos treinamentos, Ney Franco posicionou o colorado aberto pela direita, o que, em tese, manteria a formação com três atacantes (Neymar pela esquerda e Willian centralizado). Mas pelas características de Oscar é bem provável que ele também ajude Lucas a armar as jogadas. "Não temos o compromisso de escalar o time nessa ou naquela formação. Nossa ideia é respeitar as características de cada jogador."

Irregular. O Chile foi irregular na primeira fase. Venceu os fracos Venezuela e Peru e perdeu para Uruguai e Argentina. Depois do Chile, o Brasil enfrenta Colômbia (dia 3), Argentina (6), Equador (9) e Uruguai (12).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.