Brasil faz 1 a 0 na Rússia, sem esforço

Rogerinho vencia Igor Andreev por 2 a 0, com 6/2 e 6/1, quando o russo abandonou o jogo com dores no ombro

NATHALIA GARCIA, ENVIADA ESPECIAL, SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2012 | 04h24

O primeiro ponto do Brasil diante da Rússia na repescagem do Grupo Mundial da Copa Davis veio mais fácil do que a equipe poderia imaginar. Rogério Dutra Silva contou com a desistência de Igor Andreev, número 96 do ranking da ATP, quando estava na frente por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1, para vencer o primeiro confronto, ontem, em São José do Rio Preto

O russo sentiu uma lesão no ombro direito e, como as dores pioraram, preferiu deixar a disputa. "As condições aqui estavam complicadas, as bolas estavam muito pesadas. Tomei um antiinflamatório no intervalo, mas eu não conseguia sacar. Não valia a pena continuar."

A contusão de Andreev na estreia foi uma surpresa para Rogerinho, que não estava conseguindo decifrar a mudança de jogo do adversário. "Depois de certo tempo, ele começou a jogar um pouco mais curto. Eu não estava entendendo, não sabia se era tensão", revela.

Mas a vitória fácil não diminuiu a alegria do brasileiro, que exalta a superação do primeiro obstáculo da equipe. "Apesar de ele (Andreev) ter desistido, o que importa para nós é a vitória. Deu para desfrutar o jogo e ainda saímos com ponto. Não foi só o Rogério que ganhou hoje (ontem), toda a equipe tem uma parte e a torcida também."

Humilde, o tenista número 115 do mundo mostra cautela ao apontar que seu triunfo é apenas o começo da trajetória do País na competição. E ele não descarta ter de voltar a entrar em quadra, amanhã, contra Teymuraz Gabashvili. "Agora é torcer e ver o que vai acontecer no dia a dia. Se precisarem de mim no domingo (amanhã), quero estar 200%."

Já Andreev não sabe se terá condições de ajudar a equipe russa na Davis. "Eu me sinto mal, como das outras vezes. Vou ver o fisioterapeuta e tentar melhorar amanhã (hoje). Se puder, claro que vou tentar jogar". Não é a primeira vez que uma lesão no ombro tira o tenista das quadras. Ele também abandonou o Masters 1.000 de Madri e Roland Garros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.