Divulgação
Divulgação

Brasil faz contas em busca do título

Além de vencer o Paraguai, seleção comandada por Alexandre Gallo precisa torcer por empate entre Argentina e Venezuela

SAN LUIS, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2013 | 02h06

SAN LUIS - Já garantida no Mundial dos Emirados Árabes, que será disputado em outubro e novembro, a seleção brasileira busca hoje o título do Sul-Americano Sub-17. Para isso, o time tem de vencer - e bem - o Paraguai, às 15h, na última rodada do hexagonal final do torneio.

Brasil, Argentina e Venezuela dividem a liderança, com oito pontos, e já estão classificados para o Mundial. Resta apenas uma vaga, que está sendo disputada por Uruguai e Paraguai.

A seleção brasileira abre a rodada de hoje no Estádio Juan Gilberto Funes e é fundamental que consiga um placar elástico sobre o Paraguai. Isso porque o primeiro critério de desempate é o saldo de gols. Nesse quesito, a Argentina leva a melhor (4 a 2). O segundo critério é o número de gols marcados, e a vantagem dos argentinos é ainda maior (8 a 4). Com cinco gols, os venezuelanos também estão à frente do Brasil.

Mesmo se vencer o Paraguai, a seleção brasileira ainda terá de esperar a partida entre Argentina e Venezuela, que encerra o torneio, para saber se ficará com o título.

Para não depender do saldo de gols, nem do número de gols marcados, o Brasil precisa torcer por empate entre argentinos e venezuelanos.

A seleção brasileira, comandada pelo técnico Alexandre Gallo, chega à última rodada do Sul-Americano como única invicta da competição. Na primeira fase, a equipe liderou o Grupo B com dez pontos (três vitórias e um empate). No hexagonal final, o time tem duas vitórias e dois empates.

Futuro promissor. O atacante Kenedy, do Fluminense, é o destaque da equipe. Ele marcou três gols e é o artilheiro do Brasil no torneio.

Outro atleta que vem tendo boas atuações é o lateral-esquerdo Abner, do Coritiba. Veloz e habilidoso, ele é o líder de assistências da equipe, com quatro passes para gol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.