Brasil fecha campanha expressiva nos Jogos da Juventude, em Nanquim

Brasil fecha os Jogos Olímpicos da Juventude com 15 medalhas. Próxima edição será em 2018, em Buenos Aires, na Argentina

Estadão Conteúdo

27 de agosto de 2014 | 13h45

O Brasil encerrou nesta quarta-feira uma histórica participação nos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados em Nanquim, na China. Os competidores do País conquistaram 15 medalhas, sendo seis de ouro, oito de prata e uma de bronze, em um desempenho consideravelmente melhor com a primeira edição do evento, realizado em 2010.

Naquela oportunidade, os atletas brasileiros subiram ao pódio apenas em seis oportunidades, com duas medalhas de ouro, três de prata e uma de bronze. Assim, as promessas do esporte do País - os Jogos da Juventude reúnem atletas de até 18 anos - apresentaram melhora considerável exatamente quando faltam apenas dois anos para o Brasil sediar uma edição da Olimpíada, em 2016, no Rio.

Os principais destaques do Brasil foram o nadador Matheus Santana e a ginasta Flávia Saraiva, afinal, cada um voltará de Nanquim com três medalhas. Matheus Santana venceu a disputa dos 100 metros livre, inclusive quebrando o recorde mundial júnior da distância, ficou na segunda posição nos 50 metros livre e também no revezamento 4x100 metros misto, sendo um dos componentes do quarteto do País.

O desempenho de Flavia Saraiva foi bastante parecido. Afinal, a brasileira conquistou a medalha de ouro na prova do solo e também faturou duas pratas, no individual geral e na trave.

O judô rendeu ao Brasil uma medalha de ouro, com Layana Colman, na disputa até 52kg. Além disso, a brasileira garantiu uma prata na disputa por equipes mistas. Orlando Luz foi outro atleta a subir ao pódio duas vezes em Nanquim. O brasileiro faturou a prata na disputa individual. Nas duplas, ele foi ainda melhor ao ser campeão ao lado de Marcelo Zormann.

Em Nanquim, chamou a atenção o desempenho do Brasil em esportes em que o País possui pouca tradição. É o caso do tênis de mesa, com o bronze conquistado por Hugo Calderano, e também do tiro com arco, com a prata faturada por Marcus Vinicius D´Almeida.

No tae kwon do, Edival Marques foi campeão na categoria até 63kg. E o outro ouro do Brasil em Nanquim ficou com Duda e Ana Patrícia, que venceram a disputa feminina do vôlei de praia. Já Bianca Rodrigues ficou em segundo lugar no hipismo por equipes. Assim, o Brasil encerrou a sua participação nos Jogos da Juventude com um saldo positivo e esperançoso de que alguns dos atletas promissores que subiram ao pódio na China se tornem realidade nos próximos anos.

As competições em Nanquim terminaram nesta quarta-feira, mas os Jogos de Nanquim acabam oficialmente apenas nesta quinta-feira, com a realização da cerimônia de encerramento. A próxima edição do evento será realizada em 2018, em Buenos Aires, na Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.