Brasil fecha série de repescagem com atuação de gala

Com vaga no Grupo Mundial garantida, Bellucci e Rogério Silva jogam com tranquilidade e vencem rivais russos

NATHALIA GARCIA , ENVIADA ESPECIAL, SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2012 | 03h06

Foram nove anos para o Brasil conseguir voltar à elite da Copa Davis. A espera foi longa, mas a classificação veio de maneira impecável. O País fechou a série de confrontos pela repescagem contra a Rússia por 5 a 0.

Com a vaga para o Grupo Mundial garantida, Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva entraram em quadra apenas para cumprir tabela. E o número 1 do País confirmou seu favoritismo batendo Alex Bogomolov Jr. por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/4) e 6/3.

"A equipe está mais madura e está forte. A gente merecia essa vaga no Grupo Mundial por tudo o que temos feito nos últimos anos", afirma Bellucci.

Rogerinho teve ainda menos trabalho diante do jovem Stanislav Vovk, de 21 anos. Também ganhou por 2 sets a 0, com duplo 6/2, e encerrou a disputa com perfeição. Com atuação de gala, o Brasil mostrou mais determinação do que aquela equipe que ficou no "quase" por dois anos consecutivos, diante da própria Rússia, em 2011, e da Índia, em 2010.

Mas o grupo sabe que tem uma difícil missão em 2013. Bellucci reconhece que o País ainda não tem condições de brigar pelo título, mas acredita que, com comprometimento, pode fazer frente aos favoritos. "Ainda não temos time para ganhar dos grandes. Mas, como a gente demonstrou ao quase ganhar da Rússia fora de casa, podemos jogar de igual para igual com qualquer um."

Espanha, República Checa, Croácia, Áustria, Sérvia, Estados Unidos, Argentina e França estão entre os possíveis rivais do Brasil. A definição dos confrontos será sorteada na quarta-feira, às 7 horas.

O capitão João Zwetsch não elege um favorito, mas deixa clara a preferência por jogar em casa. "A gente está esperando, acima de tudo, jogar aqui no Brasil para poder deixar as coisas ao nosso gosto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.