Brasil garante três pratas e um bronze histórico na China

Flávia Saraiva, Matheus Santana e Bianca Rodrigues são vice nos Jogos da Juventude; Hugo Calderano é o terceiro no tênis de mesa

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2014 | 11h24

O Brasil garantiu a conquista de mais quatro medalhas, nesta quarta-feira, em novo dia de disputas dos Jogos Olímpicos da Juventude, em Nanquim, na China. Com isso, igualou o número de conquistas do torneio inaugural, disputado há quatro anos, em Cingapura, com um total de sete pódios conquistados.

Revelação da natação brasileira, Matheus Santana faturou a prata na prova dos 50 metros livre, enquanto Bianca Rodrigues também ficou em segundo lugar no hipismo por equipes. Flávia Saraiva, da ginástica artística, garantiu o vice-campeonato olímpico no individual geral. Para completar, Hugo Calderano conquistou um histórico e inédito bronze para o tênis de mesa brasileiro.

Recordista mundial júnior dos 100 metros livre, Santana esperava conquistar o ouro nesta quarta, mas acabou cravando o tempo de 22s48 e acabou superado com certa folga pelo chinês Yu-Hexin, ouro com a marca de 22s01. O bronze foi para o atleta de Trinidad Tobago, Dylan Carter, com 22s53. Essa foi a segunda prata obtida pelo brasileiro nestes Jogos da Juventude, depois de ter ficado em segundo lugar também no revezamento 4 x 100 metros livre misto.

Flávia Saraiva, que viajou para Nanquim em substituição a Rebeca Andrade, lesionada, teve a segunda melhor nota no individual geral, prova em que a ginasta participa de todos os aparelhos. Ela somou 54.700 pontos, atrás apenas da russa Seda Tutkhalyan, com 200 pontos a mais. A britânica Elissa Downie ficou com o bronze (54.150).

Já a medalha no hipismo veio por meio da participação da brasileira Bianca Rodrigues na equipe sul-americana que também contou com o uruguaio Francisco Martinez, a argentina Martina Campi, o chileno Antoine Porte e a paraguaia Valeria Caballero. Esse quinteto só ficou atrás de um time formado por atletas europeus na prova do hipismo por equipes do evento.

BRONZE HISTÓRICO

No tênis de mesa, Calderano conseguiu fazer história ao se tornar o primeiro atleta do Brasil a conquistar uma medalha olímpica na modalidade. O carioca obteve o feito ao vencer o taiwanês Heng-Wei Yang por 4 sets a 2, com parciais de 11/9, 11/8, 11/9, 9/11, 9/11 e 12/10, na decisão do terceiro lugar.

Terceiro cabeça de chave da competição, o mesa-tenista de 18 anos de idade acumulou seis vitórias e apenas uma derrota, para o japonês Yuto Muramatsu, segundo favorito, nas semifinais.

Essa foi a primeira medalha olímpica do Brasil no tênis de mesa, sendo que apenas em uma Paralimpíada o País havia subido ao pódio anteriormente em uma competição do Comitê Olímpico Internacional (COI) neste esporte. No caso, Welder Knaf e Luiz Algacir foram vice-campeões por equipes na Classe 3 da modalidade nos Jogos Paralímpicos de Pequim, em 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos da JuventudeBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.