Brasil inicia busca por vaga no Mundial

Seleção masculina estreia hoje, na Copa América, contra dominicanos. Para o técnico Moncho Monsalve, equipe vai brigar para ser campeã

SAN JUAN, O Estadao de S.Paulo

26 de agosto de 2009 | 00h00

O técnico espanhol Moncho Monsalve tem sido enfático: o Brasil não está em Porto Rico apenas para buscar uma vaga no Mundial da Turquia, em 2010, mas para ser campeão da Copa América. Hoje, a seleção tem seu primeiro desafio no Coliseu Roberto Clemente. Às 17 horas (de Brasília), estreia contra a República Dominicana para defender o título que conquistou em 2005.O time vem embalado pela vitória invicta na Copa Tuto Marchand, disputada na semana passada. O quadrangular amistoso - no qual o Brasil enfrentou e derrotou Argentina, Porto Rico e Canadá - serviu para dar confiança à equipe. "A seleção vai estrear muito bem preparada", disse Moncho, otimista. "Conseguimos mesclar o talento individual de cada jogador a um padrão tático ofensivo e defensivo."A presença de jogadores como Anderson Varejão, Leandrinho (maior pontuador do torneio, com média de 20,7 por jogo) e Guilherme Giovannoni só facilita o trabalho do espanhol. Eles estiveram ausentes da última competição oficial do Brasil, o Pré-Olímpico Mundial, em julho passado.Foi no torneio disputado em Atenas que Moncho Monsalve estreou no comando da seleção. De lá para cá, a equipe teve três períodos de treinamento e o espanhol parece satisfeito com o trabalho. "Os meninos entenderam perfeitamente o sistema de jogo. Com empenho e dedicação, estamos quase no ponto ideal. Os pequenos detalhes que ainda faltam serão corrigidos."O técnico também garante que os tempos de individualismos, que tanto prejudicaram a seleção brasileira, ficaram para trás. O desentendimento dos jogadores e os atos de indisciplina foram os grandes problemas enfrentados no Pré-Olímpico de Las Vegas, em 2007. A busca pelo jogo coletivo sempre foi a principal meta de Moncho, assim como a disciplina, dentro e fora de quadra. Uma condição que parece ter sido bem entendida e respeitada pelos atletas. "Não existe individualismo dentro do grupo. A palavra é o coletivo", garante o armador Marcelinho Huertas. "O Moncho mudou a forma de a seleção jogar e isso foi muito positivo para nós. Agora, é colocar em pratica tudo que treinamos."RIVAL PERIGOSOO Brasil é considerado um dos favoritos para seguir rumo ao Mundial, em companhia de Argentina, Porto Rico e da República Dominicana, o adversário de hoje. A equipe brasileira não consegue se classificar para o torneio desde 1978, jejum que deve ser interrompido ano que vem, afirma Moncho Monsalve. "É um time de muito talento e tem tudo para voltar a disputar o Mundial."Do outro lado da quadra, estarão três atletas que jogam na NBA: Al Horford, ala-pivô do Atlanta Hawks; Charlie Villanueva, ala-pivô do Detroit Pistons, e Francisco García, ala do Sacramento Kings. O técnico do Brasil também destaca seu companheiro de banco, Julio Toro, que por muitos anos comandou a seleção de Porto Rico, tradicional carrasco brasileiro. "Com um dos melhores técnicos em atividade no mundo e tantos talentos individuais, (os dominicanos) tornam-se adversários muito perigosos." O histórico de encontros, contudo, é totalmente favorável ao País. Em nove jogos por competições oficiais, foram oito vitórias brasileiras e uma dominicana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.