Brasil lamenta 7º lugar na Liga Mundial de Polo Aquático

A seleção brasileira masculina de polo aquático encerrou com vitória a Super Final da Liga Mundial da modalidade, neste sábado, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. No sexto jogo da equipe no torneio, o segundo resultado positivo veio exatamente sobre a China, único rival que o time brasileiro havia conseguido vencer, na fase de grupos.

AE, Agência Estado

21 de junho de 2014 | 15h13

A vitória deste sábado, por 8 a 7, foi pela decisão do sétimo lugar da Liga Mundial, que é jogada por oito times. Os gols brasileiros foram de Ádria Delgado (três), Guilherme Gomes (dois), Bernardo Gomes, Charuto e Grummy.

"Treinamos muito duro para este torneio. Não é a colocação que preferia estar, mas foi bom obter a vitória no jogo final. Estamos treinando muito duro e nós estamos esperando que vamos melhorar em torneios futuros", comentou Bernardo Gomes, um dos destaques do Brasil no torneio.

Já o técnico croata Ratko Rudic, que comanda o Brasil, fez questão de lembrar a derrota para o Canadá, na véspera, nos pênaltis, que impediu a seleção de brigar pelo quinto lugar.

"Tivemos ontem (sexta) um jogo chocante e todos os jogadores ficaram muito deprimidos e não conseguiram dormir. Ficaram pensando na derrota. Foi muito difícil encontrar a motivação para este último jogo. Nós estávamos jogando e lutando desde o início da partida, que esteve mais perto para eles do que nós. Então, no final, encontramos a força para fazer o resultado a nosso favor", explicou.

Na decisão da Liga, a Sérvia conquistou seu sétimo título, o quinto consecutivo, depois de fazer 10 a 6 na Hungria. O terceiro lugar ficou com Montenegro, que passou pela Austrália nos pênaltis. Os australianos haviam perdido do Brasil na semifinal das eliminatórias, mas deram o troco nas quartas de final da Super Final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.