Brasil leva 28 ao Mundial Juvenil

O brasileiro Thiago Carahyba, campeão mundial do salto em distância na categoria menor (17 anos), na Hungria, em 2001 ? que foi levado ao esporte pelo pai, por ser uma criança ativa e arteira ? é destaque na página oficial da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf) entre as estrelas do Mundial Juvenil de Atletismo. O torneio, para atletas com até 19 anos, será disputado no Estádio Nacional de Kingston, capital da Jamaica, a terceira maior ilha de fala inglesa do Caribe. O Mundial começa nesta terça e segue até domingo, com 2.000 atletas de 185 países. A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) levou 28 atletas ? 20 homens e oito mulheres para a Jamaica, a terra do reggae e de Bob Marley.Thiago Carahyba, aos 18 anos, atleta da equipe BM&F Atletismo, e que tem outros patrocinadores como a Fiat e a Caixa Econômica Federal, uma situação inusitada e confortável para quem ainda está em início de carreira no atletismo, vai fazer o salto em distância (a prova de classificação será nesta terça e a final na quinta-feira) e os 110 metros com barreiras (na sexta-feira). Também tem vaga no salto triplo, mas não poderá fazer a prova, em função do programa ? a qualificatória coincide com a dos 110 m com barreiras. ?Sei que tenho boas chances no salto em distância e até mesmo nos 110 m com barreiras, mas quero, antes de tudo, chegar entre os oito primeiros nestas provas?, observa. Suas melhores marcas são 7,73 m no salto em distância e 13s82 nos 110 metros com barreiras. ?Fez essas marcas este ano, o que significa que continua em ascensão?, ressalta a técnica Tânia Moura, que juntamente com o marido Nélio Moura é responsável pela preparação de Thiago Carahyba.Outro Thiago na equipe brasileira, o Chyaromont, atleta da Mangueira, o último atleta a apresentar-se ? não participou dos treinamentos em São Caetano do Sul porque se recuperava de uma contusão no pé ?, é outro que tem chances de brigar pelo pódio na Jamaica. Segundo especialistas, como o ex-técnico de Róbson Caetano da Silva, Carlos Alberto Cavalheiro, ?Chyaromont tem possibilidade de ir à final nos 800 m e de ajudar a equipe do 4 x 400 m a lutar por um lugar no pódio?. O treinador do atleta, Paulo Ronald Pasynchuk, concorda. ?Não gosto de antecipar nada, mas o Thiago está muito bem?, afirmou.Jorge Célio da Rocha Sena, carioca de Bento Ribeiro, o mesmo bairro do jogador de futebol Ronaldo, da Internazionale de Milão, aos 17 anos estabeleceu este ano novos recordes brasileiros da categoria menor nos 100 e 200 m, com 10s49 e 20s92, respectivamente. Neste Mundial, fará os 200 metros e o 4 x 100 metros. ?Tenho esperanças de bom resultado nos 200 m, mas acho que é o revezamento brasileiro que está realmente no ponto para a disputa?, disse Jorge Célio. O revezamento é aposta dos técnicos, com Bruno Pacheco, Eliezer de Almeida, Bruno Góes e Sena.O técnico Robson Athadas, do Vasco, que preparou o time acredita que a atual geração de velocistas é talentosa e poderá, no futuro, manter a tradição do País no revezamento 4 x 100 m, que com o time adulto foi medalha de bronze, nos Jogos de Atlanta, em 1996, e medalha de prata, na Olimpíada de Sydney, em 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.