Brasil leva a melhor sobre a Argentina

Seleção deixa rival em crise e passa à 2.ª fase da Copa América

SAN JUAN, O Estadao de S.Paulo

29 de agosto de 2009 | 00h00

O Brasil não teve dó da Argentina justamente no dia em que os hermanos comemoravam os cinco anos da conquista olímpica nos Jogos de Atenas. Comandada pelo armador Marcelinho Huertas, a seleção venceu ontem a terceira partida na Copa América por 76 a 67. Invicta, já está classificada para a segunda fase do torneio. Em uma inversão de papéis dos últimos anos, agora é a Argentina que está em crise. Sem contar com seus principais astros, como Ginóbili, Nocioni e Oberto, o rival não conseguiu reagir durante a partida, embora a seleção de Moncho Monsalve tenha, mais uma vez, realizado uma apresentação tímida no ataque. "O Brasil é um dos times mais sólidos e compactos do torneio. Perdemos para um rival superior", admitiu o técnico Sérgio Hernandez. O Brasil não vencia a Argentina em um jogo oficial desde o Mundial de 2006, no Japão. Mas, na Copa Tuto Marchand, preparatória para a Copa América, a seleção já havia derrotado o adversário. A partida de ontem, portanto, tinha tom de revanche. O clima tenso, apesar da superioridade brasileira, permeou o encontro. Tanto que o ala Marcelinho Machado permaneceu em quadra por apenas 6 minutos, suficientes para tirá-lo do jogo com quatro faltas."Sabíamos que seria muito difícil e, mesmo quando abrimos 14 pontos de vantagem, o jogo não estava decidido", disse Huertas, que fez uma de suas melhores atuações com a camiseta amarela - jogou 38 minutos e marcou 18 pontos. Para Moncho, o Brasil foi bem na defesa, mas fez um alerta."Precisamos melhorar no ataque se quisermos ir mais longe."À Argentina, resta juntar os cacos. A estreia do time foi desastrosa - derrota para a Venezuela por 85 a 69. O time de Hernandez precisa derrotar o Panamá hoje (às 22 horas de Brasília) para ter chances de seguir à próxima fase. Apenas as quatro melhores seleções garantem vaga no Mundial da Turquia, em 2010. O Brasil assistirá ao drama argentino de camarote. Hoje, a seleção folga e espera pelo duelo de amanhã, contra o Panamá, às 17 horas (de Brasília), para encerrar sua participação na primeira fase. Mas sem se acomodar. "Treinaremos para acertar o time. Meu objetivo é claro: vencer as quatro partidas da primeira fase", diz o espanhol Moncho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.