Kirill Kudryavtsev/AFP
Kirill Kudryavtsev/AFP

Brasil leva sustos, mas vence Turquia no vôlei feminino

Partida de estreia teve desempenho irregular da equiep do técnico Zé Roberto Guimarães e só foi decidida no tie-break

O Estado de S. Paulo

28 de julho de 2012 | 21h01

LONDRES - A seleção brasileira de vôlei teve mais trabalho do que o esperado e precisou suar muito para vencer a Turquia por 3 sets a 2, neste sábado, em sua estreia na Olimpíada de Londres. A equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães tomou sustos em três dos quatro sets disputados, mas deu o primeiro passo para a conquista do bicampeonato olímpico. As parciais foram de 25/18, 23/25, 25/19, 25/27 e 15/12.

Mesmo com desempenho irregular, o Brasil cumpriu com sua obrigação, já que a Turquia, comandada desde 2010 pelo ex-técnico da seleção brasileira, Marco Aurélio Motta, não é uma das favoritas do Grupo B, que também conta com Estados Unidos, China, Sérvia e Coreia do Sul.

Apesar da vitória, a seleção somou apenas dois pontos na tabela, por ter perdido dois sets, e ficou somente na terceira colocação da chave. Estados Unidos e China lideram o Grupo B, com três pontos cada.

Zé Roberto começou a estreia olímpica com Fernandinha, Fabiana, Thaísa, Paula Pequeno, Sheilla, Jaqueline e a líbero Fabi. A equipe apresentou alguns sinais de ansiedade e cometeu erros incomuns, mas manteve sempre a dianteira no placar, que terminou em 25/18, em 26 minutos.

O panorama mudou no segundo set. A Turquia acertou a mão no saque e no ataque e começou a criar dificuldades para o bloqueio brasileiro. Os times se alternaram na liderança no placar até os instantes finais. Com um ponto de bloqueio, as turcas fecharam em 25 a 23, em 27 minutos.

A instabilidade da recepção brasileira continuou no terceiro set, e Zé Roberto resolveu trocar Paula Pequeno por Fernanda Garay. As turcas chegaram a abrir três pontos de frente, mas o Brasil se reencontrou no bloqueio, engatou uma sequência de quatro pontos seguidos e se impôs novamente. Um ace de Thaísa fechou a parcial em 25 a 19, em 27 minutos.

Abaladas pela virada na parcial anterior, as turcas erraram demais no quarto set e o Brasil deslanchou logo no início. A vantagem chegou a ser de oito pontos, mas as brasileiras se desconcentraram completamente no final, desperdiçaram um match point e permitiram uma virada incrível. As turcas venceram a parcial por 27 a 25, em 32 minutos.

Passado o nervosismo, a equipe de Zé Roberto começou melhor no quinto set e teve menos trabalho do que na parcial anterior. As turcas esboçaram nova reação, mas as brasileiras, desta vez, mantiveram a liderança no placar até fechar por 15/12 no segundo match point da partida.

RETORNO - O jogo deste sábado marcou o retorno da brasileira Natália às quadras depois de praticamente um ano parada em função de duas cirurgias para retirada de um tumor na canela. Zé Roberto esperou pela recuperação da ponteira, que voltou a saltar há menos de um mês, e, na necessidade de cortar uma jogadora, decidiu mandar de volta ao Brasil a líbero Camila Brait às vésperas dos Jogos.

A seleção volta à quadra na segunda-feira, às 12h45 (de Brasília), contra os Estados Unidos. Depois, encara, na sequência, Coreia do Sul (quarta), China (sexta) e Sérvia (domingo, dia 5).

OUTROS JOGOS - Também neste sábado, as americanas, atuais campeãs mundiais e do Grand Prix, estrearam com uma vitória por 3 sets a 1 sobre a Coreia do Sul, mesmo placar da China diante da Sérvia. Pelo Grupo A, o Japão fez 3 a 0 na Argélia, mesmo placar do triunfo da Rússia sobre a Grã-Bretanha. Já a Itália fez 3 a 1 na República Dominicana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.