Brasil levará MPB, capoeira e moda à cerimônia de encerramento

Marisa Monte, Seu Jorge e o rapper BNegão já são certeza no evento que fecha a Olimpíada

Flavia Guerra - Enviada especial , O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2012 | 07h05

LONDRES - Marisa Monte, Seu Jorge e o rapper BNegão já são certeza para a participação de oito minutos que o Brasil fará na cerimônia de encerramento da Olimpíada de Londres 2012, no Estádio Olímpico de Stratford, domingo, com direção artística de Cao Hamburger e de Daniela Thomas. Hamburger comentou que, para criar a concepção da apresentação, mergulhou no universo olímpico, mas preparou algo diferente do usual. A apresentação, na qual o prefeito de Londres, Boris Johnson, passará a bandeira olímpica para o prefeito do Rio, Eduardo Paes, também vai contar com a participação da modelo Alessandra Ambrósio. A top gaúcha entrará em cena ao lado de Naomi Campbell e Kate Moss, em uma homenagem aos grandes nomes da moda britânica, como Stella McCartney, Vivienne Westwood e o já falecido Alexander McQueen.

Além de Ambrósio, outro nome da moda brasileira foi escolhido para representar o País e criar os figurinos da cerimônia: Jum Nakao. Famoso por sua "costura do invisível", em que questiona os conceitos tradicionais de moda, Nakao deve trazer também algo nada usual para os figurinos, que estão sendo confeccionados no Rio, Londres, e também em Milão e Roma.

Mas a presença mais marcante ficaria mesmo por conta de Michel Teló. Tablóides ingleses insinuaram que o brasileiro, autor do hit Ai Se Eu Te Pego (ou If I Catch You, que terá sua versão em inglês lançada em 02 de setembro), se apresentaria na cerimônia de encerramento.

"Não me admira se o Teló for escalado. Este hit já vendeu milhões no mundo todo. Moro no sul da França, numa cidade minúscula. E até lá as pessoas estão ouvindo. Ia ser divertido porque é impossível não dançar com a música", comentou o torcedor francês Pierre Bourdeau. "Quando a gente pensa em como vai ser a cerimônia de abertura do Brasil em 2016, impossível não pensar em um dos mestres da bossa nova e em Michel Teló. Todo mundo conhece!", comentou a inglesa Alex Matt.

Se não tem Michel Teló, tem capoeira e dança na participação brasileira. Para dar literalmente ritmo à apresentação que, segundo Daniela Thomas, vai tentar não ser tímida, como de costume são as cerimônias de passagem da bandeira olímpica, já que são uma parte menor de uma festa maior (a de encerramento), foram também escalados os capoeiristas do grupo Balé Folclórico da Bahia e o grupo de ritmistas Sorri pra Mim. Ambos baseados no Brasil, os dois grupos irão se juntar em Londres aos mais de 200 bailarinos voluntários que residem na Europa e foram recrutados em diversos países, e dos quais somente 31 são brasileiros.

Segundo a organização, cerca de 800 pessoas (de países que variaram de Portugal a Polônia, passando por Inglaterra) se inscreveram para o processo seletivo e passaram o mês de julho ensaiando desde samba até gafieira. Os dançarinos, cuja maioria integra grupos de dança e escolas de samba brasileiras na Europa, não podem conceder entrevistas oficiais, já que os detalhes do show devem permanecer o mais secretos possível, mas comentaram que foi um treino rigoroso e que era uma honra poder representar o Brasil.

"Vamos celebrar a alegria da diversidade. Temos o privilégio de contar com a receptividade dos ingleses e com a oportunidade de apresentar um belo trabalho", declarou Thomas.

Com supervisão de Criação de Abel Gomes e produção executiva de Marco Balich, a participação nacional no encerramento é realizada pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e produzida pelo consórcio Cerimônias Cariocas 2016 (formado pela holding italiana de eventos, publicidade e TV Film Master Group e a empresa brasileira de grandes eventos SRCOM).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.