Brasil lidera no conjunto e Angélica é segunda na ginástica rítmica

A equipe brasileira de ginástica rítmica começou bem a sua disputa pelo pentacampeonato consecutivo nos Jogos Pan-Americanos. Nesta sexta-feira, o conjunto abriu a competição com a melhor nota na apresentação de cinco fitas, com nota 14,800, ficando 0,200 à frente dos Estados Unidos. Cuba, México e Canadá também participam, mas estão muito atrás e não são rivais do Brasil.

Estadão Conteúdo

17 de julho de 2015 | 15h01

As brasileiras podem garantir a primeira medalha de ouro no sábado, quando se apresentam com seis maças e dois arcos. Os medalhistas desta prova são definidos pela soma das notas recebidas nas duas apresentações.

Diferente de todas as outras modalidades pan-americanas, que nos últimos anos se esforçaram para equiparar suas provas com as do programa olímpico, a ginástica rítmica segue distribuindo três medalhas de ouro para o mesmo campeão. O conjunto brasileiro volta a se apresentar no sábado (fitas) e no domingo (maças e arcos) para faturar mais duas medalhas.

O mesmo vale na competição individual, que tem o individual geral (prova olímpica) e as disputas por aparelhos em separado (o que só existe no Pan). Angélica Kvieczynski foi apenas a quarta colocada nas duas apresentações desta sexta-feira, no arco (15,100) e na bola (15,500). No geral, é a terceira colocada, com 30,600 pontos, atrás das duas norte-americanas.

A outra brasileira na competição é Natália Gaudio, que foi segunda no arco (15,300), mas só a 10.ª colocada na bola (12,900). Assim, Angélica e Natália fazem a final do arco, mas só a primeira vai brigar por medalhas na bola. Ambas voltam a se apresentar na sexta, nas maças e também na fita, brigando pelas medalhas no individual geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.