Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Brasil luta mas cai frente espanholas no Mundial de Handebol

Atrás por apenas um gol no último segundo de jogo, time desperdiça cobrança

Nathalia Garcia,

14 de dezembro de 2011 | 21h56

SÃO PAULO - A seleção brasileira desperdiçou a chance de brigar pelo pódio no Mundial Feminino de Handebol. Em um jogo decidido nos 15 segundos finais, a equipe perdeu para a Espanha por 27 a 26, pelas quartas de final, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Agora a luta é pelo 5.º lugar para obter a melhor campanha na competição. Até hoje, a melhor colocação do time verde-amarelo foi um sétimo lugar, em 2005. O caminho começa a ser trilhado contra a Croácia - que foi derrotada pela Noruega por 30 a 25 - nesta sexta-feira, às 14h30, também na capital paulista.

Apesar da derrota, as brasileiras deixaram a quadra aplaudidas pelos 5 mil torcedores que compareceram à partida. Foi o maior público desde o início do Mundial, no dia 2 de dezembro.

"Infelizmente começamoso jogo um pouco apagadas, acho que esse foi o problema. Se a gente tivesse começado como entramos no segundo tempo, a resistência delas poderia baixar e a gente ficaria por cima até o final. Mas infelizmente não foi assim", disse a ponta-direita Alexandra, que viu na defesa um dos pontos fracos do Brasil.

"A defesa cometeu erros que não poderia ter cometido. Ela não foi tão agressiva como deveria, como começamos no segundo tempo."

 Apesar da derrota e da decepção, o saldo foi positivo. Na avaliação da equipe e da comissão técnica, o Brasil apresentou grande evolução. Na primeira fase, venceu seus cinco jogos, surpreendendo as tradicionais França e Romênia. Nas oitavas havia vencido a Costa do Marfim.

JOGO

O nervosismo do time brasileiro marcou o início de partida. O rápido engajamento (troca de passes) das espanholas e os constantes erros no sistema defensivo das donas da casa ditaram os primeiros minutos do duelo. A Espanha aproveitou a ansiedade brasileira para abrir vantagem de 4 gols.

O primeiro do Brasil veio com a central Ana Paula, que encarou a defesa e balançou as redes das adversárias. Mas os erros continuaram, até a ponta-direira Alexandra - artilheira da equipe - desperdiçou duas oportunidades.

Aos 6 minutos, o Brasil ficou com uma jogadora a mais em quadra e não desperdiçou a oportunidade. Em noite inspirada, a meia-direita Deonise arrancou três gols e começou a trilhar a recuperação da seleção verde-amarela.

A virada só veio em um tiro de 7 metros em mais uma cobrança irreparável da ponta Alexandra, aos 15 minutos. O jogo ficou equilibrado e Deonise continuou fazendo a diferença. A meia foi a principal goleadora do Brasil na primeira etapa com 6 gols.

Aos 20 minutos, as jogadoras reservas foram acionadas pelo técnico Morten Soubak e a equipe teve uma leve queda de rendimento. A Espanha aproveitou para voltar a ficar à frente do placar e fechar a primeira parcial em 19 a 17.

O time do Brasil começou mais afinado no segundo tempo. Com o empurrão da torcida, que vibrava a cada lance das meninas, a equipe mais uma vez deixou o jogo em igualdade e o gol da pivô Dani Piedade colocou a seleção brasileira em vantagem.

Vaiadas, as espanholas não se abalaram e mais uma vez deixaram o Brasil para trás. Os lances ficaram acalorados e as duas equipes tomaram punições de dois minutos. Precisando de um gol para levar o jogo para a prorrogação, as brasileiras tiveram uma cobrança de falta no último segundo. A meia Silvia Helena chutou na barreira e a Espanha ficou com a vitória.

Tudo o que sabemos sobre:
handebolMundial Feminino de Handebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.