Brasil luta por evolução no Mundial

Equipe trabalha para a superar a 1º fase em competição que começa nesta quinta-feira na Suécia

, O Estado de S.Paulo

13 de janeiro de 2011 | 00h00

GOTEMBURGO - O confronto entre Suécia e Chile, nesta quinta-feira, às 17h30 (de Brasília), em Gotemburgo, marca a abertura do Campeonato Mundial Masculino de Handebol da Suécia, no qual o Brasil tem como principal objetivo chegar à segunda fase e superar o desempenho da edição anterior, em 2009, na Croácia, quando ficou apenas na 21.ª posição. Será o primeiro grande teste do time, que iniciou ciclo olímpico para os Jogos de Londres em junho de 2009, época em que a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb)contratou o técnico espanhol Javier Cuesta para comandar a seleção e coordenar as categorias de base.

A equipe que vencer o Mundial garante vaga nos Jogos de Londres, enquanto os colocados entre segundo e sétimo lugares se classificam para o Torneio Pré-Olímpico. Caso o Brasil não consiga ficar entre os sete melhores, ainda pode ir à Olimpíada na Inglaterra com uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara.

O Brasil está no Grupo B do Mundial, que também tem Islândia, Noruega, Áustria, Hungria e Japão, com jogos na cidade de Noorköping e Kinkoping. É considerada uma chave difícil, mas não tanto quanto a A, em que está a França, campeã em 2009, ou a C, que tem como cabeça de chave a vice-campeã Croácia.

Para o Mundial, Cuesta montou um time mesclando jogadores experientes - como o capitão Léo, o goleiro Alê e o ponta Renato Tupan- com revelações. Em 2010, a seleção conseguiu bons resultados: o ouro nos Jogos Sul-Americanos da Colômbia e o vice-campeonato do Pan-Americano - perdeu para a Argentina na final.

Agora, será a oportunidade de testar essa equipe do Brasil no cenário internacional. Na preparação para a estreia, o time fez um amistoso contra a Noruega, que venceu por 32 a 31, e três jogos em torneio realizado na Dinamarca - derrota paraTunísia (35 a 30), Dinamarca (38 a 29) e Suécia (38 a 26).

O ponta Gil Vicente, um dos atletas que querem ganhar experiência no Mundial, falou que os últimos jogos serviram para ajustes. "Estamos estudando muito os vídeos desses jogos que fizemos para saber onde mais erramos e tentar diminuir, principalmente, nossos erros defensivos, pois foi nossa principal falha nesses amistosos. Já a parte ofensiva foi muito boa", analisa. Nesta quinta, Cuesta comanda o último treino antes do confronto de estreia, contra a Áustria, nesta sexta-feira, às 15h30 (de Brasília). "Todos os times do nosso grupo são fortes, mas acredito que o Brasil tenha boas chances de estrear bem no Mundial."

Regra. As seleções estão divididas em quatro grupos de seis que se enfrentarão internamente na primeira fase. Os três primeiros colocados de cada grupo passam à etapa seguinte. Os eliminados disputam a Copa Presidente - com participação do 13.º ao 24.º colocados.

Na segunda fase serão formados dois grupos. No primeiro, os três primeiros colocados do Grupo A enfrentam os três primeiros do B. No segundo, os três melhores do grupo C jogam contra os 3 do D. As quatro melhores equipes disputam a semifinal em sistema mata-mata e os vencedores decidem o título. Os perdedores lutarão pelo terceiro lugar. Também haverá disputa de 5.º a 12.º lugares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.