Brasil mandará time B à Bolívia

Medida da CBF é em represália aos que defendem jogos em cidades de grande altitude

Sílvio Barsetti, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ficou isolada na América do Sul ao defender, no ano passado, que cidades como La Paz, por causa da altitude, não poderiam receber jogos internacionais. Apesar do desgaste com as confederações vizinhas, a CBF manteve a posição. Agora, com a seleção já classificada para o Mundial de 2010, a entidade decidiu que o técnico Dunga vai levar provavelmente uma equipe sub-23 para o confronto com a Bolívia, dia 11 de outubro, em La Paz.

A medida é uma represália a políticos e dirigentes bolivianos e de outros países sul-americanos, que pressionaram e conseguiram fazer a Fifa voltar atrás em sua decisão de proibir jogos oficiais, entre seleções, em cidades com mais de 2750 metros de altitude.

A Argentina não aderiu à manifestação do Brasil, Maradona desdenhou do assunto, e seu time acabou sofrendo uma goleada histórica (6 a 1) para os bolivianos, em 1º de abril, em La Paz, localizada a 3660 metros acima do nível do mar. "Atuar nessas condições sem um longo período de adaptação significa um risco à saúde dos atletas", declarou o médico da seleção brasileira, José Luís Runco.

Dunga vai ter duas semanas para definir quais jogadores serão convocados. A direção da CBF chegou a pensar na possibilidade de levar a seleção sub-20 para a Bolívia. Mas essa hipótese está descartada por causa do Mundial da categoria, no Egito, que vai de 27 de setembro a 16 de outubro.

Certo é que Kaká, Julio Cesar, Luís Fabiano e Robinho, entre outros, não vão constar da lista para o confronto com a Bolívia, o penúltimo compromisso do Brasil pelas eliminatórias.

No dia 14 de outubro, porém, todos esses atletas devem estar em Campo Grande para o jogo de despedida da seleção no torneio: contra a Venezuela.

Dunga vai sustentar em suas próximas entrevistas que quer fazer experiências com um time jovem e em boas condições físicas. Oficialmente, a CBF não vai anunciar sua intenção de "dar o troco" aos bolivianos. O treinador pode até ficar no Brasil, preparando o time principal para o jogo com a Venezuela, enquanto seu auxiliar Jorginho viajaria para La Paz.

PLANEJAMENTO

Com a classificação assegurada para o Mundial, a CBF começa a definir a logística da Copa. O presidente Ricardo Teixeira admitiu que dificilmente a seleção vai fazer a pré-temporada na Europa. Disse que a apresentação dos atletas será no Brasil. A intenção é levar o grupo para algum local da África duas semanas antes da estreia no Mundial. Angola é um dos países mais cotados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.