Brasil mostra boa evolução no Pré-Pan

O Brasil terminou, neste domingo, com apenas uma medalha de ouro no Pré-Pan de Ginástica Artística, válido também pelo Campeonato Pan-Americano da modalidade, mas, de acordo com a ginasta Daiane dos Santos, provou que tem o direito de sonhar em chegar aos Jogos do Rio, em 2007, em igualdade de condições técnicas contra o maior rival do continente: os Estados Unidos. Aos fim dos dois dias de competição no Centro de Convenções Riocentro, a seleção brasileira totalizou 9 medalhas: uma de ouro, quatro de prata e quatro de bronze. ?Hoje perdemos dos Estados Unidos, mas quem garante que não vamos ganhar em 2007??, indagou Daiane, que foi poupada da competição carioca por causa da disputa do Mundial da Austrália, em novembro. ?Não estou dizendo que vamos vencê-los, mas, hoje eles já se preocupam quando uma atleta brasileira vai se apresentar. Faltam dois anos e estamos crescendo e revelando atletas?. Para Daiane, o mais importante durante a disputa do Pré-Pan foi a constatação de que o nível técnico do Brasil está aumentando, o que pode ser comprovado com o segundo lugar por equipes obtido pela equipe feminina, além do quarto lugar do time masculino. Principalmente porque ambos os grupos estavam com seus elencos incompletos. ?Hoje já não precisamos que os americanos errem para ganharmos. Ganha se apresentar melhor no dia?, frisou. A carioca Daniele Hypolito, que voltou a representar a seleção, após abandoná-la no início do ano e posteriormente ser reintegrada, foi a maior medalhista da equipe. Obteve quatro medalhas de prata: por equipes, no individual geral, nos exercícios de solo e nas barras assimétricas. Já na trave, um de seus melhores aparelhos, a ginasta se desequilibrou e caiu no início da apresentação, fato que lhe tirou qualquer possibilidade de medalha e a deixou em quinto lugar. A seleção feminina também garantiu três medalhas de bronze: com Lais Souza, no individual geral e salto, e Camila Comin, nas barras assimétricas. Mas, apesar da evolução da ginástica feminina, foi no masculino que o Brasil assegurou sua única medalha de ouro. Mosiah Rodrigues, que conquistou a medalha de bronze na competição individual geral, voltou a ser destaque neste domingo, nas finais por aparelhos, ao assegurar a de ouro na barra, após frustrar-se com uma queda nos exercícios sobre o cavalo, um de seus melhores aparelhos, que o deixou em sexto. ?Foi uma conquista inédita e estou muito feliz. Tivemos ótimos resultados mesmo sem alguns ginastas titulares. Agora, para ficar melhor, só falta arrumarmos um patrocínio para a equipe masculina?, disse Rodrigues. E, até por causa dos desfalques, como Diego Hypolito e Vitor Rosas, contundidos, o time brasileiro não conseguiu repetir o feito dos Jogos Pan-Americanos de 2003, em São Domingos, quando ganhou, por equipes, a medalha de prata. Na competição carioca, o time ficou em quarto. Classificados ? O Pré-Pan de Ginástica, no sábado, classificou, além do Brasil ? já assegurado por ser o país-sede ? mais sete equipes aos Jogos do Rio. No feminino: Estados Unidos, Canadá, Cuba, México, Argentina e Porto Rico. Já por terem ficado entre a oitava e a 10.ª posição, Colômbia, Venezuela e El Salvador conquistaram o direito de inscrever duas atletas. Chile, Guatemala, Peru, Bolívia e Uruguai participarão com uma ginasta, já que terminaram entre o 11.º e 15.º lugares. A classificação do masculino segue a mesma regra do feminino: Estados Unidos, Porto Rico, Canadá, Cuba, Venezuela, Colômbia e Brasil participarão dos Jogos de 2007 com suas equipes completas. Argentina, México e Chile, com dois atletas; além de Equador, Guatemala e República Dominicana, que poderão inscrever um ginasta. O regulamento ainda estipulava a inscrição de mais um atleta por dois países a serem determinados, mas Bolívia, El Salvador e Peru não enviaram atletas para a disputa entre os homens.

Agencia Estado,

09 de outubro de 2005 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.