Brasil Open começa hoje. Com as arquibancadas vazias

Organização abre mão do público para privilegiar parceiros e VIPs. Torneio não terá presença de Ferrero, atual campeão

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2011 | 00h00

Arquibancadas lotadas, atmosfera vibrante contagiando a quadra e os jogadores - nem sempre isso poderá ser encontrado no Brasil Open. Todos os anos especula-se que o torneio, cuja chave principal começa a ser disputada na Costa do Sauipe hoje, sairá da Bahia e irá para um grande centro do País em busca do público. Mas a competição criou raízes no litoral baiano. Se tem alguém que deseja vê-la em outro lugar não é a Koch Tavares, promotora do torneio. Tampouco os jogadores. Muito menos os patrocinadores e seus convidados.

A organização do Brasil Open abre mão de encher diariamente os 3,5 mil lugares das arquibancadas da quadra central do complexo hoteleiro onde é realizado o torneio para privilegiar o chamado "marketing de relacionamento". Cada patrocinador recebe um lote de ingressos; staffs e convidados passam a semana em contato, o que acaba semeando novos negócios. Tudo isso com o torneio de melhor nível do País como pano de fundo.

"A competição atende a demanda dos nossos clientes e vem dando certo nestes dez anos", afirma o diretor do torneio, Luiz Procopio Carvalho.

Mas os amantes do tênis reclamam da localização. É difícil chegar na Costa do Sauipe - demora uma hora e meia de carro desde Salvador, onde fica o aeroporto mais próximo. Mais complicado é ficar lá durante a semana para acompanhar todo o torneio. "A gente ganha de um lado e perde de outro", relativiza Carvalho.

A possibilidade de tirar o evento da Bahia em 2012 está aberta. Só faltam alternativas concretas. "A gente vê a especulação com bons olhos. Se existe é porque o Brasil Open está crescendo", diz. "Mas levar uma competição dessas para Rio ou São Paulo também teria seus problemas. O custo de construir uma arena encarece o evento. Quem sabe com a Copa e a Olimpíada próximos não surja interesse."

Desfalques. Depois de perder a maior atração nas duplas, com a desistência dos irmãos Bob e Mike Bryan, foi a vez do espanhol Juan Carlos Ferrero, atual campeão do Brasil Open, anunciar sua ausência no evento. A justificativa é uma lesão no joelho ainda não recuperada.

Outro tenista espanhol, Pere Riba, também não participará mais do torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.