Brasil Open troca festa da Bahia por status em São Paulo

Torneio que começa no ginásio do Ibirapuera é considerado um ATP 250 e traz Nicolas Almagro e Fernando Gonzalez

O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2012 | 03h03

SÃO PAULO - O Brasil Open trocou a maresia e o ambiente mais relaxado da Costa do Sauipe pela correria e o badalado mercado de São Paulo. Depois de 11 anos organizado em terras baianas, o principal torneio de tênis do País desembarca na capital paulista, onde será disputado de hoje até domingo na quadra de saibro montada no Ginásio do Ibirapuera. Os atletas mais conhecidos que desfilarão por lá são o chileno Fernando González, o argentino David Nalbandian, os espanhóis Nicolas Almagro e Juan Carlos Ferrero, além dos brasileiros Thomaz Bellucci e Ricardo Mello.

O torneio é classificado como um ATP 250 e distribui US$ 475 mil (R$ 830 mil). O campeão embolsa US$ 86 mil (R$ 150 mil) e 250 pontos. A chave é formada por 32 tenistas, dos quais quatro vieram do qualificatório, realizado no fim de semana. Entre os tenistas mais famosos que foram campeões do Brasil Open estão Gustavo Kuerten e o espanhol Rafael Nadal.

A primeira edição paulistana traz algumas peculiaridades. Gonzalez, por exemplo, ocupa apenas a 268.ª posição do ranking, classificação que não permitiria sua inscrição. No entanto, o retrospecto do chileno, que tem uma das melhores direitas (forehand) de todos os tempos, foi finalista do Aberto da Austrália e prepara a aposentadoria, garantiu-lhe um wild card (convite).

Almagro, por sua vez, defende o título e também precisou de um convite especial, pois manifestou o desejo de jogar em São Paulo quando as inscrições estavam encerradas.

Entre os motivos que fizeram com que os organizadores optassem por trazer a competição para São Paulo estão a logística mais fácil e a possibilidade de contar com público maior. Para muitos, a venda de ingressos das últimas edições foi considerada decepcionante.

"Até o fim de semana já havíamos vendido 20 mil ingressos. A expectativa é de que mais de 30 mil pessoas passem pelo Ibirapuera ao longo dos sete dias de disputa", afirmou o gerente do evento, Luiz Procópio.

Prematuro. Para os brasileiros, o sorteio das chaves não trouxe boas notícias. O duelo entre Bellucci e Mello pode ocorrer logo no início da competição. Melo estreia contra o espanhol Pere Riba. Se vencer, encara o compatriota, que entra direto na segunda rodada. Feijão estreia diante do romeno Victor Hanescu, que o eliminou no ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisBrasil Open

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.