Brasil passeia contra os inocentes americanos

O velho Estádio Loftus Versfeld conheceu ontem o jogo de um time só quando o Brasil passou fácil pelos Estados Unidos. Não teve nem graça. A seleção se impôs do começo ao fim, venceu por 3 a 0 e ficou a um passo da classificação para a semifinal da Copa das Confederações (veja o regulamento abaixo). No domingo, ainda em Pretória, mede forças com a Itália.Para os 39.617 torcedores, apenas o Brasil apareceu. Nem poderia ter sido diferente. Diante de uma frágil marcação e da inocência tática do adversário, a seleção fez o que quis. Deu pena ver os americanos atônitos sem saber a quem marcar, para que lado ir, o que fazer.Tudo começou no setor direito do ataque. Ramires, bem mais contundente que Elano, sofreu duas faltas em menos de cinco minutos. Na primeira, Maicon bateu e a zaga tirou. Na segunda, cruzou lá do outro lado para Felipe Melo escorar de cabeça e marcar, aos 7 minutos.Os americanos não notaram que, entre a sua linha de quatro defensores e a outra com quatro meias e marcadores, Kaká e Ramires flutuavam livres, soltos. E também não conseguiram entender a forte pressão do Brasil na saída de bola.Aos 20 minutos, André Santos aproveitou um erro do adversário e ligou Kaká. O camisa 10 levou a bola até Ramires que partiu como um raio rumo ao gol de Howard. Na esquerda, Robinho zunia. Ramires então rolou a bola para ele: 2 a 0. Dali até o final do primeiro tempo, a seleção diminuiu o ritmo.Na volta para o segundo tempo, o técnico Bob Bradley avançou um pouco o seu time, que respondeu com sinais de melhora. Quando as coisas começavam a clarear, o meia Kljestan tentou arrebentar Ramires e foi expulso. Bradley, sem saída, trouxe seu time de volta. Mas não teve jeito. Em jogada rápida, Ramires serviu Kaká, que tocou para Maicon fazer o terceiro. Acabava de fato o jogo que havia sido definido ainda no primeiro tempo. Pretória foi dormir ao som das incansáveis e insuportáveis zuzuvelas (cornetas) e do estampido da fácil vitória dos brasileiros sobre os inocentes americanos.REGULAMENTO As duas melhores seleções de cada chave se classificam para as semifinais. Caso haja igualdade no número de pontos, seguem-se os seguintes critérios de desempate: saldo de gols, gols marcados, confronto direto e sorteio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.