Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Brasil poderá ter até 12 atletas do skate nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Mais bem ranqueados nas categorias Park feminino, Park masculino, Street feminino e Street masculino participarão da competição ano que vem

Daniele Bellini e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2019 | 04h33

Os skatistas mais bem ranqueados no período entre janeiro de 2019 e maio de 2020 participarão dos Jogos Olímpicos de Tóquio no próximo ano. O Brasil poderá disputar medalhas com até 12 atletas, divididos da seguinte maneira: três no Park feminino, três no Park masculino, três no Street feminino e três no Street masculino.

A presença brasileira com o número máximo de competidores vai depender do desempenho dos skatistas ao longo das duas janelas classificatórias estabelecidas pela World Skate para a corrida olímpica. Eduardo Musa acredita que o País conseguirá levar a quantidade máxima. “A posição dos atletas brasileiros é muito boa. Temos 19 atletas entre os 80 do mundo nas quatro vertentes de classificação para a Olimpíada”, explica o presidente da CBSk. 

Mesmo os dois Mundiais somando grande quantidade de pontos, Musa diz que não é possível ainda apostar qual pontuação garante um atleta nos Jogos. “Após esses Mundiais termina a primeira janela de classificação e não dá para cravar que alguém já estará classificado. A segunda janela tem mais competições, que vão somar cinco notas, contra apenas duas da primeira janela. Então, está muito cedo para definir algo.”

Rayssa Leal, segunda colocada no ranking do Street, tem 11 anos e se conseguir a classificação para os Jogos Olímpicos terá apenas 12 anos em Tóquio. “Quero bater muitos recordes na carreira. Este ano já bati um por ser a mais nova a vencer uma etapa da Street League Skateboarding (SLS), em Los Angeles. Espero que venham muitos outros”, avisa.

Entenda como funciona a classificação do skate para Tóquio-2020

Cada categoria, Park e Street, será composta por 20 atletas mulheres e 20 homens, e a escolha leva em consideração os seguintes critérios:

- Os três mais bem colocados no Mundial de Skate de 2020;

- 16 classificados a partir do ranking mundial Olímpico da World Skate, que leva em conta o desempenho nos torneios nacionais, continentais e no campeonato mundial. Além de eventos 5 Estrelas e da Street League Pro Tour - sendo esta exclusiva do Street;

- Uma vaga dedicada ao atleta mais bem colocado no ranking nacional do país-sede.

Além disso, para poder participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o atleta precisa estar no ranking da World Skate, em sua modalidade de disputa, no dia primeiro de junho de 2020 e ser reconhecido pela Federação Nacional de Skate de seu país - a CBSk no caso brasileiro - ou possuir uma licença válida para a prática do esporte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.