Brasil sofre, mas vai às finais dos revezamentos 4x100m no Pan

Depois de fazer finais de todas as provas olímpicas no Mundial de Revezamentos, nas Bahamas, em maio, o Brasil não conseguiu repetir o resultado nos Jogos Pan-Americanos, em Toronto. Classificou suas equipes para apenas três finais, sendo que nas duas provas masculinas (4x100m e 4x400m) passou apenas por tempo, sem conseguir completar sua bateria entre os três primeiros.

Estadão Conteúdo

24 de julho de 2015 | 21h58

No 4x100m, a equipe formada por Aldemir Gomes, Bruno Lins, Gustavo Santos e Vitor Hugo dos Santos ficou em quarto na segunda bateria, com 38s76. Ficou atrás de Trinidad & Tobago, Barbados e República Dominicana. Na outra série, Antígua & Barbuda bateu o recorde do campeonato: 38s14. EUA, Canadá e Jamaica também vão brigar pelo ouro, sábado à noite.

O time feminino teve um pouco mais de facilidade. Desfalcada de Ana Cláudia Lemos, que sofreu lesão muscular nos 200m, o Brasil ficou terceiro da sua bateria, com 43s24. A escalação teve Bruna Farias, Rosângela Santos, Vanusa dos Santos e Vitória Rosa.

FUNDO - Nas finais das provas de fundo disputadas nesta sexta-feira o Brasil não se deu bem. Já com índice olímpico, o jovem Thiago André, de 19 anos, acabou "encaixotado", não conseguiu atacar os primeiros colocados e terminou apenas no oitavo lugar nos 1.500m. O guia paralímpico Bira ficou em nono. O campeão da prova foi Andrew Wheating, dos EUA, seguido de dois canadenses.

Já nos 3.000m com obstáculos para mulheres, Juliana Gomes dos Santos corria entre as primeiras quando sofreu uma queda e abandonou. Tatiane da Silva ficou em sexto. Ashley Higginson, dos EUA, venceu. Desta vez o pódio teve duas americanas e uma canadense.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosatletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.