Brasil sofre para ganhar da Finlândia

Mesmo com Giba e Rodrigão em quadra, time só venceu após cinco sets

, O Estadao de S.Paulo

20 de junho de 2009 | 00h00

Com o ponta Giba e o meio de rede Rodrigão no time, a expectativa era de que a seleção brasileira masculina de vôlei teria mais facilidade para derrotar a Finlândia, ontem, pela segunda rodada da Liga Mundial, em Brasília, do que na semana passada, em São Paulo, contra a Polônia. Engano. O time sofreu para ganhar do adversário por 3 sets a 2 (25/22, 26/28, 25/16, 23/25 e 15/9). Hoje as equipes voltam a se enfrentar às 10 horas, na Capital Federal.Giba não achou a situação adversa ruim. "Nada melhor do que estrear numa partida com cinco sets. Estou precisando de ritmo de jogo e, para mim, foi muito bom", disse o jogador. Para o ponta Rivaldo a dificuldade não foi surpresa. "Aqui (na Liga Mundial) nunca tem jogo fácil. Particularmente, eu esperava isso mesmo. A Finlândia já tinha mostrado um bom volume de jogo contra a Venezuela e repetiu isso", avaliou.A opinião, no entanto, não foi compartilhada por Bernardinho. Para o treinador da seleção, os atletas erraram demais. "Ultrapassamos o limite do aceitável. Daria nota cinco porque ganhamos, mas quem nos forçou a isso foi a Finlândia, que jogou bem", avaliou. "Erramos muito no ponto de vista técnico. Foram falhas não forçadas e isso prejudica nossa performance. Espero que sejamos mais eficientes amanhã (hoje)."O treinador, no entanto, faz questão de ressaltar que comparações deste grupo com a geração anterior é injusta. "Temos que melhorar muita coisa. Esse grupo não tem um ajuste como o da geração passada, que teve oito anos de base", ponderou. "É um momento de conhecimento. Não quero me precipitar, até porque a referência anterior é pesada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.