Amanda Perobelli/ Estadão
Amanda Perobelli/ Estadão

Brasil tem três apostas para voltar a vencer na São Silvestre após nove anos

Primeiro destaque é Daniel Chaves da Silva, Top 15 na Maratona de Londres deste ano, garantindo a qualificação para Tóquio

Redação, Estadao Conteudo

24 de dezembro de 2019 | 16h32

Desde que Marilson Gomes dos Santos cruzou em primeiro lugar, em 2010, a linha de chegada na frente do prédio da Fundação Cásper Líbero, no número 900 da avenida Paulista, o Brasil não sabe o que é vencer a Corrida Internacional de São Silvestre, que acontece sempre no dia 31 de dezembro nas ruas de São Paulo. Para acabar com esse jejum, o País tem três apostas para a 95.ª edição da prova, que promete um elevado nível técnico no percurso de 15 quilômetros. Saiba mais informações sobre a prova, como trajeto, inscrições e horário da São Silvestre.

Os brasileiros inscritos com mais chance de vitória estão na categoria Bronze da World Athletics, como a IAAF passou a se chamar neste ano. O primeiro destaque é Daniel Chaves da Silva, Top 15 na Maratona de Londres deste ano, garantindo a qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

Além dele, outro que poderá brilhar é Wellington Bezerra, 18.º na Maratona de Hamburgo (Alemanha) deste ano e vice da Maratona Internacional de São Paulo em 2018. Por fim, as esperanças tambpem estão com Ederson Pereira, campeão da Volta Internacional da Pampulha, ouro nos 10 mil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, ambos neste ano, e quinto na Meia de Buenos Aires do ano passado.

No feminino, duas corredoras brasileiras estão entre as atrações da Elite: Valdilene Silva e Tatiele de Carvalho. A primeira foi a 15.ª colocada na Maratona de Frankfurt (Alemanha) no ano passado, enquanto que a segunda foi quarta na Dez Milhas Garoto e quinta na Meia de Buenos Aires, ambos em 2018. O Brasil não vence nesta categoria desde 2006, com Lucélia Peres.

A partir desta 95.ª edição, a prova passa a ser da categoria Road Race Bronze Label da World Athletics, entrando para o rol das principais corridas do mundo. Isso significa possuir critérios técnicos de qualificação que garantirão a presença de alguns dos melhores corredores do mundo na atualidade.

A programação de largadas no próximo dia 31 começará mais cedo, às 7h25, com a largada da categoria cadeirantes. Em seguida, às 7h40, será a vez da elite feminina. A elite masculina, Pelotão C, e Cadeirantes com Guia e Pelotão Geral largam às 8h05.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoSão Silvestrecorrida de rua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.