Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Brasil tenta manter a hegemonia no Sul-Americano de Atletismo

País vai para o torneio, no Paraguai, com 52 representantes e tenta consolidar tradição no cenário continental

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2017 | 07h00

Com 52 representantes – 26 homens e 26 mulheres –, o Brasil busca desta sexta-feira  até domingo manter a hegemonia no Campeonato Sul-Americano, em Assunção, no Paraguai, e consolidar sua tradição no cenário continental. Para os atletas, a qualificação para o Mundial de Londres, que será disputado em agosto, é mais um atrativo.

Segundo os critérios de convocação definidos pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), os campeões que estiverem entre os 40 primeiros colocados no ranking olímpico da IAAF em 23 de julho, data limite para obtenção de índices, estarão qualificados para a equipe.

Para quem já atingiu a marca mínima, o Sul-Americano é uma oportunidade para melhorar os resultados e subir de posição no ranking. É o caso de Vitória Rosa (100 m e 200 metros rasos), do B3 Atletismo (antigo BM&F Bovespa).

A velocista de 21 anos foi medalha de prata no Troféu Brasil, com o tempo de 11s24 nos 100 m, seu recorde pessoal. A rápida evolução surpreende até a própria atleta, que deixou o Rio de Janeiro para viver em São Caetano do Sul, aos cuidados do técnico Katsuhico Nakaya.

"Foi uma mudança muito radical. O que estava acostumada a fazer no Rio é totalmente diferente dos treinos daqui, mas consegui me adaptar e entrar no trilho. Em relação à família e amigos, tive de deixar todo mundo para trás para seguir meus sonhos e objetivos", disse.

Vitória Rosa veio de uma família que respira atletismo. As seis meninas criadas em Santa Cruz, na zona oeste do Rio, tentaram a sorte no esporte, só metade persistiu. As duas mais velhas já abandonaram as pistas, assim como a caçula. "Minha mãe passou também pelo atletismo, a paixão vem de casa. Quem está hoje é a Jéssica, abaixo de mim, e a Natália, abaixo dela. A mais nova tentou, mas não se adaptou a esse mundo."

Em Assunção, a jovem corre pelo sonho de todos. Entre os destaques brasileiros no Sul-Americano, estão Bruno Lins e Rosângela Santos (100 m), Darlan Romani (arremesso do peso), Wagner Domingos (lançamento do martelo) e Talles Frederico Silva (salto em altura).

Tudo o que sabemos sobre:
Atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.