Brasil usa cada minuto na luta por novos votos

Café da manhã com um delegado do Comitê Olímpico Internacional (COI), jantar com outros e conversas em bares de luxuosos hotéis. Nos últimos dias, a candidatura do Rio usou cada minuto para angariar apoio. Esforços foram divididos para a abordagem de 107 pessoas com direito a voto.Sérgio Cabral, governador do Rio, o prefeito Eduardo Paes, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, e o ministro do Esporte, Orlando Silva, receberam indicações de quem deveriam procurar. O Brasil também tenta seduzir a opinião pública. Fez uma coletiva em luxuoso hotel à beira do lago Lemán. Chicago e Madri não fizeram conferências. O Rio ganhou um aliado inesperado. Um grupo de americanos foi ao COI e disse que Chicago não tem condições de receber o evento. "O país está em crise e não temos dinheiro", afirmou Tom Tresser, líder do movimento "No Games".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.