Brasil vence Canadá e encara Cuba na semifinal do basquete

Seleção feminina joga bem, convence, e segue firme em busca da medalha de ouro

22 de julho de 2007 | 23h41

Como esperado, a seleção brasileira de basquete feminino venceu o Canadá por 77 a 63, na noite deste domingo, no complexo Cidade dos Esportes, na última partida do grupo A.   Com a vitória, o Brasil se classifica às semifinais como o primeiro de seu grupo. Sendo assim, o adversário será a seleção de Cuba, que se classificou como segundo do grupo B, liderado pelos Estados Unidos, que encaram o Canadá. Ambas semifinais acontecem nesta segunda-feira.   A vitória não só classificou a seleção brasileira às semifinais como mostrou que a equipe finalmente encaixou seu estilo de jogo, o que não aconteceu nas duas primeiras partidas. Com o bom jogo diante do Canadá, o Brasil entra na semifinal como principal favorito ao ouro, mesmo num possível embate diante dos Estados Unidos.   Na partida, a seleção brasileira entrou desatenta e errou na movimentação ofensiva, deixando o Canadá abrir vantagem através de pontos de contra-ataques. Aos poucos, o técnico Barbosa corrigiu as falhas, e, com o apoio da torcida, as jogadoras neutralizaram as adversárias, assumindo a ponta do placar no segundo quarto, com grande participação de Micaela.   A vantagem, no entanto, não era confortável, ainda mais pela forte marcação canadense, que cumpria à risca a determinação de sua técnica, Allison McNeill, fazendo com que a partida continuasse aberta até o terceiro quarto. Depois de alguns acertos na marcação dentro do garrafão, a seleção brasileira abriu vantagem e garantiu a vitória.   Resultados da última rodada de classificação:   Brasil 77 x 63 Canadá Estados Unidos 78 x 63 Cuba Jamaica 69 x 46 México Colômbia 68 x 66 Argentina   Aposentadoria?   Após a vitória diante do Canadá, a ala Janeth comentou sobre o jogo. "Hoje a partida foi boa. Tivemos algumas falhas defensivas, mas fizemos um segundo quarto muito bom, e agora vamos para o jogo de amanhã contra Cuba. Vamos enfrentar mais uma pedreira", disse a jogadora.   O assunto que todos queriam incitar, no entanto, era sua aposentadoria da seleção. Diplomática, Janeth evitou decretar o término do seu ciclo. "Eu quero continuar no meio do esporte e fazer muitas coisas pelo basquete. Vamos primeiro pensar neste campeonato para depois pensar no que fazer".

Tudo o que sabemos sobre:
basquetePan 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.