Divulgação
Divulgação

Brasil vence e fica perto das semifinais do Pan-Americano de Handebol

Equipe feminina liquida seleção da Venezuela por 33 a 16 em Cuba

Estadão Conteúdo

24 de maio de 2015 | 19h09

A seleção feminina brasileira de handebol venceu neste domingo a Venezuela por 33 a 16 (16 a 8 no primeiro tempo) em partida válida pelo Pan-Americano de Handebol, na Sala Polivalente Kid Chocolate, em Havana, Cuba, e ficou muito perto da vaga para as semifinais da competição. O Brasil tem agora quatro vitórias no grupo A, ocupa a primeira colocação e só pode ser alcançado por Porto Rico e Paraguai. As próximas adversárias da seleção serão as paraguaias, bastando um empate para garantir a vaga sem precisar depender de outros resultados. Os dois primeiros colocados de cada grupo vão para as semifinais do Pan-Americano.

Em um fato inédito na competição, a seleção começou atrás no placar, mas nada que abalasse as brasileiras, que viraram a partida em poucos minutos. Com a vitória como foco para obter boas chances de ir às semifinais do torneio e consequentemente garantir vaga para o Mundial, as venezuelanas fizeram um primeiro tempo equilibrado até os 15 minutos, com destaque para as defesas da goleira Marisol Carratu, que parou o ataque brasileiro. Porém, no decorrer do período, a seleção brasileira encaixou bons contra-ataques e fechou o primeiro tempo em 16 a 8.

Na segunda etapa, com um equilíbrio maior entre ataque e defesa, as brasileiras foram ampliando o placar aos poucos com as boas defesas de Jacqueline Santana, as belas fintas de Vitória Macedo e as jogadas de contra-ataque puxadas principalmente por Célia Costa. Sem maiores dificuldades, o Brasil fechou a partida em 33 a 16.

Mesmo com o placar dilatado, o técnico da seleção, Morten Soubak, não ficou muito contente com a atuação da equipe. "Foi o nosso pior primeiro tempo no campeonato. Assim como no jogo contra os Estados Unidos, quando encontramos um estilo de handebol muito diferente, a nossa defesa não vai bem. Fico mais contente porque os nossos contra-ataques funcionaram na segunda etapa, mas o resultado dos dois tempos foi praticamente o mesmo. Temos que melhorar", analisou.

Para a ponta direita Célia Coppi, artilheira da partida com 12 gols, a diferença técnica entre os times dificultou o trabalho defensivo. "Quando encontramos uma equipe muito inferior, elas ficam rodando a bola e nós perdemos a paciência. Por isso temos que entrar "200%" concentradas nesses jogos. Ainda estamos tendo muitos altos e baixos", disse ela, agradecendo a defesa pelos gols que fez. "Quando a defesa funciona, temos contra-ataques. Soubemos aproveitar isso no segundo tempo e pude marcar muitos gols", finalizou.

O próximo jogo da seleção feminina no Pan-Americano de Handebol será nesta segunda-feira, a partir das 14h (horário de Brasília), contra o Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.