Brasil venceu Copa da Ásia, diz brasileiro técnico do Iraque

Jorvan Vieira levou equipe do país a título inédito, vencendo a Arábia Saudita por 1 a 0.

BBC Brasil, BBC

29 de julho de 2007 | 16h06

O técnico da seleção iraquiana de futebol, o brasileiro Jorvan Vieira, disse que a vitória de seu time na final da Copa da Ásia, neste domingo, foi uma vitória do Brasil."Não foi eu nem o Hélio (dos Anjos, técnico também brasileiro da seleção adversária, da Arábia Saudita) que ganhou, foi o Brasil que ganhou, porque numa competição de Copa da Ásia, uma competição continental, de um continente completamente diferente do nosso, dois brasileiros estavam na final", disse ele à BBC Brasil por telefone de Jacarta, onde ocorreu a final.A vitória por 1 a 0 marcou o primeiro título do Iraque na competição e foi muito comemorada na capital do país, Bagdá - onde milhares de pessoas desafiaram o toque de recolher imposto pelo governo e saíram às ruas para comemorar.Analistas dizem que o desempenho da seleção iraquiana uniu temporariamente o país. O time inclui muçulmanos sunitas e xiitas e, segundo o técnico brasileiro, estava divido quando ele assumiu o cargo de técnico, há cerca de dois meses.Jorvan disse que enfrentou muito ceticismo à frente da seleção iraquiana."Foi uma resposta a muita gente que não acreditou naquilo que nós poderíamos fazer", disse. "Inclusive muita gente no Iraque, muitos ex-treinadores, ex-jogadores famosos lá que me atacaram muito."Ele explicou que o período mais complicado dele na seleção foi no início, "na fase de conhecimento, adaptação entre minha pessoa e os jogadores"."O tempo era muito curto (...) Havia também o fato da credibilidade e de os próprios jogadores também sentirem que talvez podia ser muito difícil.""Esse foi o lado mais difícil, o lado mental de convencê-los e mostrar a eles que, se seguíssemos esse caminho, seria o caminho certo, o caminho da vitória." O brasileiro disse que, a despeito do placar apertado, o Iraque foi bem na final e poderia ter feito "facilmente 3 ou 4 a 0. É que nós perdemos muitas oportunidades.""O time da Arábia Saudita se colocou na parte defensiva, explorando os contra-ataques, e nós conseguimos anular toda essa situação deles e eles tiveram muita dificuldade.""Faltou uma melhor finalização por parte dos meus atacantes e posso até dizer que faltou um pouco de seriedade da parte de nosso centroavante", explicou.Radicado no Marrocos, Jorvan está deixando a seleção iraquiana e disse que ainda não tomou decisões sobre seu futuro - mas não tem a intenção de voltar ao Brasil, onde foi técnico do Vasco e do Botafogo, entre outras equipes.Segundo ele, alguns times de futebol asiáticos - entre eles dois clubes na Coréia do Sul -já entraram em contato com ele interessados em contratá-lo.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.