Brasil volta à elite após nove anos

Marcelo Melo e Bruno Soares derrotam dupla russa e colocam equipe nacional no Grupo Mundial da Copa Davis

NATHALIA GARCIA , ENVIADA ESPECIAL , SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2012 | 03h03

"Quem manda aqui? Brasil! Quem manda aqui? Brasil! 1, 2, 3, Brasil!." Com esse grito de guerra na quadra de saibro, os tenistas da equipe brasileira extravasaram ontem toda a emoção engasgada há nove anos ao finalmente selar o retorno do País à elite da Copa Davis. Show de fogos de artifício e banho de champanhe foram só o começo da festa em São José do Rio Preto.

A volta à primeira divisão do torneio foi resultado da vitória por 3 sets a 0 - parciais de 7/5, 6/2, 7/6 (9/7 - obtida pela dupla Marcelo Melo e Bruno Soares diante dos russos Alex Bogomolov Jr., número 90 do mundo, e Teymuraz Gabashvili, 163.º no ranking. Com tal placar, o Brasil fechou a disputa de melhor de cinco jogos em 3 a 0 pela repescagem.

A última vez que o País esteve no Grupo Mundial da Davis foi em 2003, quando Gustavo Kuerten liderava a equipe. Entre 2006 e 2011, foram seis eliminações consecutivas: diante da Suécia, Áustria, Croácia, Equador, Índia e da própria Rússia. A trajetória para a consagração foi longa e, para Bruno Soares, o grupo fecha um importante ciclo de trabalho. "Conseguimos reerguer o tênis de uma maneira muito positiva. É um momento especial para todos nós. Agora é tentar fazer bonito no ano que vem, no Grupo Mundial."

Gratidão também foi sentimento que dominou o discurso do capitão João Zwetsch, que incluiu nomes de muitos profissionais que já vestiram a camisa verde-amarela, como Guga, Fernando Meligeni, e outros. "A nossa função é manter vivo esse legado que foi deixado por outros jogadores do passado", exalta.

Caminhada. Depois de ficar no "quase" por dois anos consecutivos, os brasileiros entraram focados e não deram chances para os russos. Na sexta-feira, Rogério Dutra Silva estreou com a desistência de Igor Andreev. Na sequência, Thomaz Bellucci superou Gabashvili por 3 sets a 1. A vantagem brasileira deixou o adversário pressionado, e o capitão Shamil Tarpischev mudou a estratégia ao tirar Stanislav Vovk, de apenas 21 anos, do jogo de duplas. O plano não deu certo e a competição acabou mais cedo.

Hoje, as equipes voltam a se enfrentar só para cumprir tabela. Bellucci pega Igor Andreev, às 15 horas, e Rogerinho encerra a série de jogos contra Gabashvili. Tudo indica que ainda haverá mudança na equipe russa.

Sorteio. O adversário do Brasil no Grupo Mundial da Davis será sorteado na quarta-feira, às 7 horas. Se cair contra Espanha, República Checa, Croácia, Áustria, os brasileiros terão o mando dos confrontos. Já diante de Estados Unidos, Argentina e França, assumem a condição de visitantes, e, contra a Sérvia, um novo sorteio será realizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.