Brasil x Sérvia: título em jogo no vôlei

Brasil e Sérvia e Montenegro fazem na sexta-feira o jogo mais esperado da Copa do Mundo de Vôlei do Japão - que deve definir o campeão da competição. Em Tóquio, às 4h (horário de Brasília), com transmissão da SporTV, uma das duas seleções perderá a invencibilidade e a que vencer irá praticamente garantir uma das três vagas para os Jogos Olímpicos de Atenas/2004.No último confronto das duas equipes, os brasileiros conquistaram o tricampeonato da Liga Mundial, com vitória por 3 sets a 2. "Tenho certeza de que a que a Sérvia e Montenegro vem com tudo. Jogo com o Geric (meio-de-rede) e o com Miljkovic (oposto), no Macereta (time da Itália), e dá para sentir isso neles. Eles vão ter sempre esse gostinho de revanche", avisou Nalbert, capitão da seleção do Brasil.Se depender do retrospecto desde que Bernardinho assumiu a seleção, em 2001, o Brasil leva vantagem: não perdeu nenhuma vez para a Sérvia e Montenegro. Foram seis jogos e seis vitórias para os brasileiros.Apesar da expectativa criada para o duelo, Nalbert lembrou que essa é apenas a primeira das três duras partidas que o time terá pela frente nesta fase final da competição - ainda enfrenta Estados Unidos e Japão. "O próximo jogo ainda não define nada em termos de classificação. Mas estamos pensando nele com muito carinho porque temos um objetivo: queremos ser campeões", revelou o jogador.Giovane concorda com Nalbert. "Essa vai ser a primeira grande final dessa Copa do Mundo. Talvez esse descanso de dois dias sem jogos seja positivo para a nossa equipe, porque cria toda uma expectativa para o primeiro jogo. Isso aumenta ainda mais o estado de alerta dos jogadores. Estamos bem fisicamente, acho que até melhor do que quando começamos o campeonato. Agora é ter tranqüilidade nesse final." O líbero Escadinha ressalta a tradição das duas seleções. "É um jogo difícil do Brasil, atual campeão mundial, contra a Sérvia e Montenegro, atual campeã olímpica. Eles são um adversário de respeito e tenho certeza que a partida vai ser dura", afirmou o jogador.O meio-de-rede André Heller preferiu amenizar o clima de revanche. "O principal não é pensar nesse clima. Temos que entrar concentrados para fazer o que temos feito durante toda a competição. Essa, talvez, seja a partida mais importante para nós. As equipes são adversárias diretas e a vitória definirá quem levará vantagem na briga pelo título e pela classificação para Atenas", disse.Sobre o jogo, André faz um alerta: "A chave para esse jogo é concentração. Eles não são aquele time que relaxa se perder um set. São frios, têm um ritmo cadenciado e vão buscar a vitória até o final."Por mais que o campeonato seja outro, as memórias da Liga Mundial, na Espanha, ainda continuam presentes. "Dois lances me marcaram muito. O primeiro foi o Miljkovic perdendo um contra-ataque e a chance de fechar a partida. O segundo foi o último ponto, em que saí correndo e pulando na mesa como um louco", lembrou Nalbert.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.