Brasileira é flagrada no doping

O último dia de competição dos Jogos Sul-Americanos teve sua nota negativa com a notícia de que o Brasil perdeu a medalha de ouro nos 1.500 metros do atletismo, obtida dia 3, em Belém. A juvenil Eliana Luanda Cardoso Pereira não passou no exame antidoping, que detectou a presença da substância estanozolol, que aumenta a potência muscular e é proibida pelo Comitê Olímpico Internacional. A atleta foi punida com a exclusão na prova e suspensão por tempo indeterminado. A medalha de ouro foi para chilena Eliana Vasquez, sua compatriota Suzana Aburto ficou com a prata e a equatoriana Silvia Yucalia com o bronze. Segundo o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Roberto Gesta de Melo, Eliana, apesar de ser juvenil, deve passar pelo mesmo processo dos atletas adultos pegos no exame antidoping. "Ela está suspensa e será julgada pelo tribunal, e pode ter afastada das competições por até dois anos." Roberto Gesta disse ter ficado surpreso com a defesa apresentada pelo médico particular de Eliana, Júlio César Alves. Na carta que enviou para defesa da atleta, ele admitiu que "de acordo com o produto final, o pré-hormônio androstene pode ser convertido em estanozolol". Outro fato que o presidente considerou estranho foi o fato da atleta não ter notificado antes dos Jogos o uso dos suplementos alimentares que estava ingerindo. Segundo o responsável pelo controle anti-doping dos Jogos, Eduardo De Rose, as cinco substâncias citadas por Júlio César Alves não são dopantes. Ao mesmo tempo, o médico afirmou que o atletismo jamais registrou caso de combinação de substâncias que pudesse resultar em doping. O técnico da atleta na equipe BMF, Clodoaldo do Carmo, mostrou-se surpreso. "Especialmente porque a substância encontrada nem seria para as provas de resistência que ela disputa." Ele disse estar decepcionado com o fato de Eliane nunca ter avisado para ele, e para o médico da equipe, que estava utilizando os suplementos. "E olha que tivemos uma reunião antes dos Jogos e perguntamos para todo mundo." O presidente da BMF, Sérgio Coutinho Nogueira, anunciou o cancelamento do contrato de Eliane. Ele garante que será favorável à punição do atleta.

Agencia Estado,

11 Agosto 2002 | 17h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.