Brasileira fica a 1kg de faturar o bronze no levantamento de peso

Por muito pouco, mais especificamente um quilo, o Brasil não ganhou mais uma medalha neste domingo nos Jogos Pan-Americanos. Roseane Santos levantou um total de 183 quilos e, em quarto lugar, ficou pela diferença mínima para subir ao pódio na categoria até 53kg do levantamento de peso.

Estadão Conteúdo

12 de julho de 2015 | 17h13

Assim, o Brasil já tem o mesmo número de quartos lugares no Pan do que medalhas: seis. Ficou no quase nas duas competições de BMX, nas duas de nado sincronizado e com Cesar Castro, nos saltos ornamentais.

Roseane acabou pagando pela gana. No arranco, ela conseguiu erguer 82kg na segunda tentativa e depois resolver arriscar 86kg. Recordista brasileira - levantou 87kg há 50 dias -, falhou. Depois, no arremesso, bateu seu recorde pessoal, com 100kg, e igualou o recorde nacional.

Na última tentativa, tentou melhorar em dois quilos seu resultado, mas falhou na tentativa de 102kg no arremesso. Terminou com um total de 182kg. Ficou a um quilo da medalhista de bronze (a dominicana Yafreysi Silvestre Velgar) e de igualar seu recorde nacional.

As duas primeiras colocadas sobraram. A Colômbia ganhou sua terceira medalha de ouro em quatro provas de levantamento de peso do Pan. Rusmeris Villar Barbosa somou 201kg e ficou empatada com Genesis Gomez, da Venezuela. Subiu ao lugar mais alto do pódio porque mostrou-se mais leve na pesagem oficial da prova.

O Brasil ainda teve uma segunda participante na prova, Letícia Laurindo, que terminou em sétimo entre oito atletas, com 171kg. A recordista pan-americana Yuderqui Contreras, da República Dominicana, falhou nas três tentativas do arranco e acabou eliminada sem resultado.

Além de Roseane e Letícia, o Brasil tem outros seis atletas no Pan, com destaque para Fernando Reis, que é o favorito ao bicampeonato no peso pesado (+105kg). Diferente de outras modalidades, no levantamento de peso, apesar de serem disputadas 15 provas no Pan, existe um limite de 13 atletas por país, sendo até dois por competição. Assim, as potências da modalidade escolhem onde ganharão suas medalhas.

Até agora, a Colômbia competiu com seis atletas, em quatro provas. Ganhou três de ouro e três de bronze. A República Dominicana soma quatro medalhas, sendo uma de ouro, e a Venezuela outras duas. Além do Canadá, dono da casa, só colombianos e venezuelanos têm delegação completa. Devem dominar o quadro de medalhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.