Brasileira fica em sétimo no Giro D'Itália feminino de ciclismo

O ciclismo brasileiro conquistou, neste domingo, um resultado histórico. E não foi nos Jogos Pan-Americanos. Competindo por uma equipe italiana Flávia Oliveira terminou no sétimo lugar o tradicional Giro Rosa, como é chamada a versão feminina do Giro D''Itália. Ela ainda faturou o título de montanha, levando para casa a camisa verde.

Estadão Conteúdo

12 de julho de 2015 | 18h17

Após 10 etapas de uma competição que começou na Eslovênia, Flavinha terminou 7min35s atrás da campeã, a holandesa Anna van der Breggen, quarta do ranking mundial. À frente da brasileira, que compete pela equipe Ale Cipollini, ainda duas norte-americanas, uma sul-africana, uma polonesa e uma francesa.

Na disputa como melhor da montanha, não teve para ninguém. Flavinha somou 42 pontos, contra 31 de Van der Breggen. Isso apesar de a bicicleta dela ter problemas na última etapa e a brasileira precisar pedalar por cerca de meia hora com a bike de uma companheira mais alta.

Também competindo pela Ale Cipollini, Uênia Fernandes terminou o Giro no 42.º lugar entre 106 ciclistas que completaram. Como estão na Itália, nenhuma das duas vai participar dos Jogos Pan-Americanos - a família Fernandes será representada por Clemilda e Janildes, primas de Uênia.

O resultado de Flávia, em uma competição do mais alto nível do ciclismo internacional, deve fazer ela subir bastante no ranking mundial. Os pontos dela e de Uênia são fundamentais para que o Brasil, 18.º do ranking de nações, suba até a 13.ª posição e garanta quatro credenciais na Olimpíada. Hoje, teria apenas duas.

Tudo o que sabemos sobre:
ciclismoGiro DItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.