Brasileiras com as mãos na oitava taça

Somente um grande tropeço diante do Japão pode colocar em risco o octocampeonato do Grand Prix

TÓQUIO, O Estadao de S.Paulo

23 de agosto de 2009 | 00h00

Somente uma derrota arrasadora para o Japão pode tirar o oitavo título do Grand Prix das mãos da seleção brasileira feminina de vôlei, hoje pela manhã, em Tóquio. E ainda assim se a Rússia, única seleção ainda com chance de estragar a festa do Brasil, tiver batido com autoridade a boa equipe holandesa numa das partidas anteriores (às 3h30, de Brasília). Ou seja, a seleção treinada por José Roberto Guimarães pode até entrar em quadra, às 7 horas (com TV Globo e SporTV, com o título garantido. A fase final do torneio é disputada no Ginásio Metropolitano de Tóquio.As brasileiras levam vantagem ainda no ponto average, a média de pontos usada como primeiro critério de desempate, obtida pela divisão dos pontos marcados pelos pontos sofridos. Por isso, para colocar as mãos na taça, a Rússia precisa vencer as holandesas por 3 sets a 0 e ainda torcer por uma derrota brasileira por larga margem de pontos.Situação difícil de imaginar diante da campanha da seleção, perfeita até agora, com 100% de aproveitamento - foram 13 jogos na competição, todos vitoriosos. Ontem, as invictas brasileiras venceram a Holanda por 3 sets a 1 (25/22, 18/25, 25/20 e 25/16), em atuação definida como irregular pelo técnico José Roberto Guimarães. "Foi um jogo muito complicado. O time não entrou com a mesma concentração da partida contra a Alemanha", criticou. "E, sempre que entrarmos assim, vai acontecer o que aconteceu. Não merecíamos ter vencido o primeiro set. Ganhamos em cima dos erros da Holanda. Nosso bloqueio foi o que fez a diferença. Podíamos ter perdido o jogo, e aí a situação ficaria complicada", completou.A concentração do time caiu ainda mais no segundo set e as holandesas aproveitaram para chegar ao empate. O Brasil reassumiu a liderança na terceira parcial e fechou a partida, no quarto set, depois de início equilibrado. Os destaques entre as comandadas de José Roberto Guimarães foram a oposto Sheilla, autora de 22 pontos, e a meio-de-rede Fabiana, responsável por outros 18.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.