Brasileiro confia em reduzir diferença

Estratégia da Brawn GP será fazer apenas um pit stop durante a prova

, O Estadao de S.Paulo

13 de setembro de 2009 | 00h00

A McLaren vai largar hoje na pole position do GP da Itália. Mas a equipe que melhor se sairá na prova é a Brawn GP, como no início do campeonato. A análise é do sócio e diretor técnico do ex-time Honda, Ross Brawn. A confiança é tanta numa retomada das vitórias que Brawn até expôs ontem a estratégia de Rubens Barrichello e de seu companheiro, Jenson Button: "Faremos um pit stop apenas."

A corrida de Monza terá 53 voltas. Os pneus macios de Rubinho e Button terão de resistir a cerca de 26. "Os pneus não estão sendo problema aqui", explicou Rubinho, animado como Button em relação à possibilidade de terminar na frente de novo. "Poderíamos lutar pela pole. Estamos com carro para isso em Monza", disse. "Mas de que adiantaria largar em 1º e depois ver os pilotos com Kers nos ultrapassar e sair da primeira curva em terceiro ou quarto?"

Por isso, em conjunto com Brawn e diante do desempenho do carro, os pilotos concluíram que uma parada apenas seria mais apropriada. O que os ajuda muito em pistas velozes como Monza é o motor Mercedes, fator que está desequilibrando a disputa em favor dos times que o usam. Dos sete primeiros no grid do GP da Itália, seis têm motor Mercedes.

Na projeção da corrida, Ross Brawn entende que seus pilotos podem neutralizar a diferença que faz o Kers em favor de Lewis Hamilton e Heikki Kovalainen, da McLaren, e Kimi Raikkonen, Ferrari.

Rubinho demonstra confiança em reduzir a diferença para Button, mas, ao mesmo tempo, preocupação. "Talvez tenha de substituir o câmbio", explicou. Como é a segunda corrida do equipamento e pela regra deve resistir a quatro GPs, Rubinho perderá cinco posições no grid se tiver mesmo de trocá-lo. "Vamos analisar se é mesmo necessário." Isso favoreceria Button. Rubinho não diz nada abertamente, mas dá a entender que espera lisura do seu time na questão.

No GP da Espanha e no da Alemanha ficou no ar a suspeita de que Ross Brawn favoreceu Button na estratégia dos pit stops.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.