Simon Crowther/Red Bull Content Pool
Simon Crowther/Red Bull Content Pool

Brasileiro conquista vice-campeonato em torneio 'caça-tempestades'

Evento ocorreu na Inglaterra sob condições climáticas extremas, com ondas gigantes e ventos acima de 70 nós

O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2014 | 19h57

SÃO PAULO - O windsurfer brasileiro Marcílio Browne conquistou o vice-campeonato do Red Bull Storm Chase, competição que "caça-tempestades" ao longo do mundo. O evento ocorreu em Cornwall, na Inglaterra, sob condições climáticas extremas, com ondas gigantes e ventos acima de 70 nós. O título ficou com o francês Thomas Traversa.

"Nunca tive a chance de estar em um local tão frio e intenso na minha vida. Estou muito satisfeito só de ter saber que sou capaz de competir neste tipo de clima tão adverso. Meu objetivo nesta competição era chegar à final e terminar em segundo é algo que me deixa muito empolgado", disse o brasileiro.

A competição foi dividida em dois dias. No sábado, muitos atletas tiveram o seu equipamento destruído pela força da natureza. Os que conseguiram manter suas pranchas intactas precisaram mostrar muita técnica para contornar os fortíssimos ventos que quase impediam os atletas de aterrissar na água depois das manobras.

No domingo, com melhores condições de vento, o brasileiro brilhou ao ganhar o prêmio de melhor manobra com um pushloop forward  - manobra que consiste em duas rotações inversas em um mesmo salto. Apesar disso, Browne não conseguiu superar a regularidade do francês Thomas Traversa e ficou com o segundo lugar.

Durante a competição, todos atletas ficavam em stand-by, aguardando uma tempestade acima do nível 10 na escala Beaufort. Para a largada ser dada, o vento tinha que ultrapassar os 100 km/h. A primeira etapa aconteceu na Irlanda, no fim de janeiro de 2013. Quatro atletas foram eliminados e seis avançaram para a segunda etapa, que aconteceu na Tasmânia, na Austrália, em julho do mesmo ano. Quatro atletas avançaram para a grande final, que aconteceu neste final de semana em Cornwall, na Inglaterra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.