Brasileiro culpa desgaste por 24º lugar no mountain bike em Londres

'A pista estava bem difícil e na primeira volta cheguei a pensar em desistir', declarou Rubens

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2012 | 15h55

O brasileiro Rubens Donizete chegou a Londres sonhando em ficar entre os dez primeiros na disputa do ciclismo mountain bike dos Jogos Olímpicos, mas teve que se contentar com um resultado bem abaixo do esperado. Depois da 24.ª colocação da prova deste domingo, o ciclista explicou que o traçado da pista e o forte calor de Londres o deixaram bastante desgastado.

"Estou contente só por ter terminado. A pista estava bem difícil e na primeira volta cheguei a pensar em desistir. Sentia muita dor, o sol estava muito quente, muito desgastante. Então estou muito feliz por ter chegado ao fim e ficado a cinco minutos do campeão", declarou.

Rubens Donizete terminou as sete voltas pelo percurso de 4,7 quilômetros em 1h34min23s, 5min16s atrás do checo Jaroslav Kulhavy, vencedor da prova. Em Pequim, há quatro anos, apesar de ter ficado em uma colocação melhor - foi 21.º -, o brasileiro esteve mais distante do vencedor, ao ficar mais de nove minutos atrás do francês Julien Absalon.

"Passava pelo meu técnico e ele me dizia que eu estava a dois, três minutos do líder, enquanto em Pequim minha colocação foi melhor, mas fiquei bem mais longe do Absalon. Foi um bom resultado", avaliou. "Todos andaram muito rápido aqui porque a pista proporcionou isso, era um trajeto muito veloz. A colocação não foi a que eu almejava, mas saio satisfeito pelo meu desempenho".

O ciclista ainda explicou que não teve um melhor desempenho por conta da largada ruim. "Posicionei-me bem, mas no tumulto não consegui ir para frente como tinha imaginado. A largada é o meu ponto forte e a minha ideia era ganhar o máximo possível de posições no início, mas já teve um enrosco no começo da prova e fiquei com mais cuidado para não cair".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.