CBDA/Divulgação
CBDA/Divulgação

Brasileiro fica em 20º na plataforma de 27m no Mundial de Budapeste

Murilo Marques é antepenúltimo na primeira vez que disputa a competição na carreira

Estadão Conteúdo

30 de julho de 2017 | 16h14

O brasileiro Murilo Galves Marques terminou neste domingo sua participação na plataforma de 27 metros, prova também conhecida como High Diving, com a 20ª colocação no Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, na Hungria. A competição, à beira do Rio Danúbio, contou com a presença de 22 atletas.

Estreante em Mundiais, Murilo fez três saltos na prova, que teve início na sexta-feira. No primeiro, obteve a 13ª colocação. No entanto, ele errou a saída no segundo e caiu para o 21º lugar. Neste domingo, conseguiu se recuperar, mas não avançou à final e precisou se contentar com o 20º posto, com 194,95 pontos.

A medalha de ouro foi conquistada pelo norte-americano Steve Lo Bue, com 397,15 pontos. A prata ficou com o checo Michael Navratil, com 390,90. E o italiano Alessandro de Rose completou o pódio, com 379,65 pontos.

No sábado, a brasileira Jacqueline Valente encerrou sua participação na plataforma de 20 metros na oitava colocação. Entre 10 competidoras, ela ficou na antepenúltima colocação, em sua segunda participação em Mundiais.

O High Diving, como é chamado pela Federação Internacional de Natação (Fina), entrou no programa do Mundial de Esportes Aquáticos na edição de 2015, em Kazan. Também é chamado de "Cliff Diving" por ter sido originalmente disputado sobre um penhasco em competições mais amadoras.

Nos Mundiais da Fina, a prova é realizada sobre plataformas de 27 e 20 metros (masculino e feminino, respectivamente) erguidas geralmente diante de pontos turísticos das cidades-sede das competições.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.