Brasileiro sonha com nova vitória

Felipe Massa sabe, no entanto, que sua principal missão hoje é ajudar o finlandês Raikkonen a lutar pelo título

Glenda Carqueijo, O Estadao de S.Paulo

21 de outubro de 2007 | 00h00

Felipe Massa despede-se da temporada 2007 largando na pole, pelo segundo ano consecutivo, no GP do Brasil de Fórmula 1. E espera repetir o brilhante desempenho do ano passado, em que foi o vencedor. Mas sabe que, mais do que ganhar a prova, terá de ajudar o companheiro de equipe, Kimi Raikkonen, que ainda tem chances matemáticas de faturar o título. "Foi fantástico o fim de semana do ano passado. Se conseguir repetir esse resultado, será um sonho", afirma Massa. Fora da briga pelo Mundial, o brasileiro entrou na pista relaxado e voou baixo no treino classificatório. Fez a melhor volta - 1min11s931 - e foi o único a andar abaixo de 1min12s, deixando para trás os concorrentes ao título Hamilton, Raikkonen e Alonso. Empolgado com as arquibancadas cheias, Massa aproveitou a última volta para retribuir o carinho do público com uma volta mais lenta. Para muita gente, a impressão foi de que ele havia dado uma volta extra e poderia ser punido. Mas o brasileiro explicou: "Não estou preocupado, porque cruzei a linha de chegada quando o farol ainda estava verde. Pelo regulamento da Federação Internacional de Automobilismo, a volta não é considerada encerrada enquanto o cronômetro não é zerado. "Me divirto muito em Interlagos. É uma sensação bacana comemorar com os brasileiros, apaixonados por automobilismo. Foi mais um dia de glória." Massa aposta em uma "grande briga" na pista, já que três pilotos disputam o campeonato. "Vai ser um bom espetáculo para o público." A situação de Kimi é um pouco mais complicada, já que tem sete pontos de diferença para o primeiro colocado, Lewis Hamilton, da McLaren. Mas o bom desempenho da escuderia italiana na véspera da decisão deixou Massa confiante. "O objetivo é que a gente ande a corrida toda na frente. A equipe está feliz", acrescenta o brasileiro, que renovou contrato até 2010. O anúncio da extensão foi feito nesta semana, embora Felipe já soubesse da novidade 15 dias atrás, na China.NÃO DEU PARA BARRICHELLOCom o objetivo de marcar seu primeiro ponto na temporada, Rubens Barrichello, da Honda, será apenas o 11º no grid de largada. Seu melhor resultado neste ano foi um nono lugar no GP de Mônaco. "Com a classificação da manhã (sexto no treino livre), era de se esperar algo mais. Mas acho que essa posição é melhor que 16º e 17º." Rubinho que estreou na F-1 em 1993, com a Jordan, nunca tinha deixado de marcar um ponto. "Foi um ano horrível", resumiu Barrichello.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.