Ray Collins/ Divulgação
Ray Collins/ Divulgação

Brasileiro surfa onda 'desafiadora' de 7m na temida Teahupo'o

Com mar raso, Taiti possui uma das melhores ondas do Mundial

Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

28 de julho de 2015 | 16h38

A próxima etapa do Campeonato Mundial de Surfe será em Teahupo'o, no Taiti, a partir do dia 14 de agosto. O local é conhecido por ter uma das melhores ondas do mundo. Ao mesmo tempo, é uma das praias mais perigosas, já que, além do mar ser muito raso, é recheado de bancadas de corais. 

Na última sexta-feira, o brasileiro Everaldo Teixeira 'Pato', de 40 anos, esteve em Teahupo'o e surfou uma onda de cerca de sete metros, a qual considerou a mais desafiadora de sua vida. "Quando entra uma ondulação grande, sempre tem 'aquela onda', a maior do dia, como os surfistas costumam dizer. Essa foi, sim, a maior desse dia que ficou para a história."

"Existe risco de vida, e especialmente essa ondulação, ela não entrou de uma maneira perfeita. Entrou na direção mais perigosa, de oeste o que faz com que você encontre uma parede d'água na sua frente, um túnel sem saída. Aí o surfista decide se vale arriscar ou simplesmente observar o show da natureza", completa Everaldo. 

"Exige muita habilidade nessas condições, onde a bancada de corais é muito rasa e o volume de água da onda é enorme. Cair dentro de um tubo com tanta água é como estar dentro de uma maquina de lavar gigante!" 

O surfista mora a bordo de um barco em alto mar junto de sua esposa, Fabi, e a filha, Isabelle Nalu. A família é protagonista da série "Nalu pelo Mundo", que vai ao ar no canal Multishow. Na última semana, Pato esteve na exata localidade onde será a chamada para o campeonato mundial. Entretanto, as condições que ele surfou não são as ideais para a competição. "Não é possível entrar remando, somente com a ajuda de jet ski, modalidade conhecida como tow in, sempre praticada em condições extremas. Quando encontram essas condições, o campeonato entra em espera." 

Para o viajante, a peculiaridade do lugar "é o volume de água com que a onda se forma, é uma onda única. Muito perigosa. Teahupo'o tem o significado de 'Praia de Crânios Quebrados'. É a onda mais perfeita, porém difícil, exige bastante treino e foco." 

Apesar de saber dos perigos do local e de já ter presenciado graves ocorrências, ele agradece nunca ter sofrido problemas mais danosos. "Graças a Deus, nada sério. Já caí e toquei nos corais várias vezes. Muitas das minhas cicatrizes nas costas vêm dessa onda. Já quebrei muita prancha e já vi muitos acidentes graves. Surfistas que nunca mais poderão surfar devido a lesões na coluna ou pescoço."

Na busca pelo primeiro título mundial, no ano passado, o brasileiro Gabriel Medina faturou a etapa do Taiti sobre o 11 vezes campeão Kelly Slater por apenas 0.03 ponto, 18.96 a 18.93. Ex-competidor, Everaldo seguirá na Polinésia Francesa para assistir à próxima etapa do Circuito Mundial e está confiante que o Brasil será bicampeão do evento.

"O Gabriel Medina já mostrou que tem condições vencendo o ano passado. É uma onda que amedronta, mas todos os brasileiros do tour podem, sim, se dar bem em Teahupo'o. Temos o brasileiro Adriano De Souza como número 1 do ranking no momento e vou torcer muito para que ele se dê bem." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.