Kirsty Wigglesworth/AP - 9/2/2014
Kirsty Wigglesworth/AP - 9/2/2014

Brasileiros competem no esqui cross country em Sochi na terça-feira

Jaqueline Mourão tem novo desafio nos Jogos de Inverno. No masculino, Leandro Ribela compete

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2014 | 14h53

SOCHI - Depois de competir sábado no biatlo, modalidade que combina esqui cross country e tiro, nesta terça-feira Jaqueline Mourão já tem um novo desafio nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi. É que a brasileira vai participar das eliminatórias dos sprint do esqui cross country. No masculino, Leandro Ribela compete.

Se nas últimas duas edições de Jogos de Inverno Jaqueline competiu apenas na prova de 10km, em Sochi ela vai se arriscar no sprit, que seria o equivalente aos 100m no atletismo - mas com distância de pouco mais de 1km.

Na etapa classificatória largam 67 atletas com intervalo de 15s entre elas. As trinta mais rápida vão à próxima fase. Depois são baterias de seis atletas em quartas, semifinal e final. Jaqueline será a 63.ª a largar, às 9h15, pelo horário de Brasília.

"Essa será a minha prova mais desafiadora aqui em Sochi. Eu sou uma atleta de resistência, de longa distância, e esta é uma prova rápida. O Sprint é muito curto, então um segundo muda todo o resultado. Mas a tensão da primeira prova já passou e estou me sentindo bem", comenta Jaqueline, que ocupa a 581.ª colocação no ranking mundial.

No masculino, Leandro Ribela também estreia no sprint. Atleta olímpico nos 15km em Vancouver/2010, ele diz que evoluiu nesses quatro anos. Nesta terça-feira, vai ser o 82.º a largar, às 9h45, numa prova de 86 concorrentes, sendo que apenas quatro se classificaram com pior ranking que ele, o 1590.º do mundo - mas primeiro latino-americano.

"Evolui bastante na parte técnica desde Vancouver. Neste ciclo, além do trabalho físico, nós fizemos um trabalho de ciências do esporte, com o uso da cinemática, buscando a eficiência dos movimentos. Também trabalhei a parte psicológica, para estar sempre focado e render o máximo na hora da prova. Então a minha meta para Sochi é conseguir colocar tudo o que eu trabalhei em diferentes áreas na hora da prova e atingir o meu limite físico e mental", afirma Ribela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.