WSL
WSL

Brasileiros são favoritos em etapa em piscina de ondas no Circuito Mundial de Surfe

Filipe Toledo e Gabriel Medina chegam na disputa com grandes chances; no feminino, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima representam País

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

18 de setembro de 2019 | 15h11

Filipe Toledo, líder do ranking mundial, e Gabriel Medina, campeão no ano passado, são os grandes favoritos para a disputa masculina do Freshwater Pro, oitava etapa do Circuito Mundial de Surfe (sétima no feminino) que será disputada na piscina de ondas construída pelo veterano Kelly Slater. Os dois puxam a fila de 12 brasileiros presentes no evento no masculino e duas atletas no feminino.

"Toda etapa é chave. Precisa ganhar ou chegar perto dos primeiros colocados, caso contrário não chega ao final disputando o título. Os Jogos Olímpicos são uma meta e se o título vier, a vaga virá como consequência. Meu desejo é também conseguir ir bem em toda a perna europeia e isso me ajudará bastante a chegar numa possível disputa de título no Havaí", disse Filipinho, que está recuperado de dores na região lombar.

Ele vai usar a lycra amarela de líder do ranking e espera repetir o ótimo desempenho do ano passado, quando chegou até a final, mas acabou sendo derrotado por Medina. Os dois enxergam essa etapa, que começa nesta quinta-feira ao meio-dia e termina no sábado, como fundamental para a sequência da temporada, que terá paradas ainda em Portugal, França e Havaí.

Por ser realizada em uma piscina de ondas, o formato de disputa é diferente dos outros eventos do calendário. Todo atleta vai pegar três ondas para a direita e três para a esquerda. Sua pontuação é a soma das duas melhores para cada lado. Depois, os oito mais bem colocados se classificam para a fase final e a situação se repete. Ganha quem somar mais pontos.

Além de Medina e Filipinho, o Brasil terá Michael Rodrigues, Mateus Herdy, Yago Dora, Italo Ferreira, Jesse Mendes, Peterson Crisanto, Deivid Silva, Jadson André, Caio Ibelli e Willian Cardoso. No feminino o País estará representado por Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima - as duas tiveram ótimo desempenho recentemente no Mundial da ISA, no Japão.

"No ano passado não fiz nada demais, surfei mais ou menos, deixei a pressão chegar em mim, não fiquei tranquila, e acabei esquecendo o que tinha de fazer. Esse ano estou bem animada. Treinei bastante esses últimos dias e estou esperando um resultado positivo. Coloquei tudo na cabeça o que tenho de fazer durante o evento e estou muito mais preparada e sei o que fazer para ir avançando", comentou Tati.

RANKING MASCULINO

1: Filipe Toledo (BRA) – 36.600 pontos

2: Jordy Smith (AFS) – 35.450

3: Kolohe Andino (EUA) – 35.175

4: Gabriel Medina (BRA) – 34.695

5: John John Florence (HAV) – 32.690

6: Italo Ferreira (BRA) – 31.280

7: Kanoa Igarashi (JPN) – 30.780

8: Owen Wright (AUS) – 27.365

9: Seth Moniz (HAV) – 22.885

10: Kelly Slater (EUA) – 22.385

11: Julian Wilson (AUS) – 21.460

11: Ryan Callinan (AUS) – 21.460

13: Michel Bourez (TAH) – 21.250

14: Jeremy Flores (FRA) – 20.120

15: Conner Coffin (EUA) – 18.695

16: Deivid Silva (BRA) – 17.270

17: Wade Carmichael (AUS) – 17.065

18: Caio Ibelli (BRA) – 16.415

19: Willian Cardoso (BRA) – 15.280

20: Michael Rodrigues (BRA) – 14.990

21: Joan Duru (FRA) – 14.215

21: Peterson Crisanto (BRA) – 14.215

Outros brasileiros:

27: Yago Dora (SC) – 11.300 pontos

28: Jessé Mendes (SP) – 11.160

29: Jadson André (RN) – 10.595

32: Adriano de Souza (SP) – 8.465

41: Mateus Herdy (SC) – 1.595

42: Krystian Kymerson (ES) – 1.330

45: Alex Ribeiro (SP) – 265

RANKING FEMININO

1: Carissa Moore (HAV) – 41.175 pontos

2: Sally Fitzgibbons (AUS) – 37.325

3: Stephanie Gilmore (AUS) – 35.065

4: Lakey Peterson (EUA) – 33.850

5: Caroline Marks (EUA) – 32.135

6: Courtney Conlogue (EUA) – 31.590

7: Malia Manuel (HAV) – 27.800

8: Tatiana Weston-Webb (BRA) – 25.120

9: Brisa Hennessy (CRI) – 21.840

10: Johanne Defay (FRA) – 19.930

13: Silvana Lima (BRA) – 16.800

20: Tainá Hinckel (BRA) – 2.610

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.