Brasileiros se dão bem em dia de mais recordes no Mundial

Num dia em que Michael Phelps, Leila Vaziri e Laure Manaudou quebraram recordes mundiais, nos 200 m borboleta masculino (1m52s09), nos 50 m costas feminino (28s16), e nos 200 m livre feminino (1m55s52), respectivamente, o Brasil colocou dois nadadores em finais. César Cielo, nos 100 m livre (48s87), e Thiago Pereira, nos 200 m medley, este último com recorde sul-americano (1m58s65), ficaram entre os oito melhores semifinalistas de suas provas, na manhã desta quarta-feira.O velocista César Cielo disputou a segunda série da semifinal dos 100 m livre, que foi a mais forte. Cielo estava na raia 2. Na raia 5 estava o campeão olímpico da prova, o holandês Pieter Van den Hoogenband (3.º no geral, com 48s72). O brasileiro terminou na quinta posição, com 48s87 e acabou empatado na sexta colocação com dois sul-africanos: Roland Schoeman e Ryk Neethling. O melhor de sua série e da semifinal foi o americano Jason Lezak, com 48s51. Na primeira série, o melhor foi o italiano Filippo Magnini, atual campeão do mundo, com 48s60."O que eu mais queria era isto. Entrar na final, melhorando o meu tempo. Isto era mais importante para mim do que a decisão. Da raia 1 a raia 8, todos tem chances", definiu Cielo, que tem como melhor marca para a distância, 48s61, recorde sul-americano. Além dos sul-africanos, de Lezak e de Hoogenband, Cielo terá na final como adversários o canadense Brent Hayden (4.º , 48s79), e o australiano Eamon Sullivan (5.º, 48s86).Nos 200m medley, Thiago Pereira brigou lado a lado com o fenômeno Michael Phelps na segunda série do dia. Ele venceu a barreira do 1m59s, e quebrou seu próprio recorde sul-americano, de 1m59s19, de fevereiro passado."O ritmo foi muito forte. Pra ganhar medalha vou ter de nadar muito. Está todo mundo bem, principalmente os dois norte-americanos (Phelps e Lochte, 1.º e 2.º tempo da semifinal, com 1m57s94 e 1m58s48), mas acho que a minha briga será com o húngaro (Lazlo), que ficou a um centésimo de mim. Estou muito feliz por ter finalmente nadado abaixo de 1m59s. Vinha buscando isto desde 2004", contou Thiago.Nos 50m costas feminino, depois de melhorar seu próprio recorde sul-americano nas eliminatórias, caindo de 29s25 para 29s04, Fabíola Molina baixou ainda mais o tempo na semifinal, com 29s02. Mas ela não terá outra chance para fazer cair ainda mais a marca, pois terminou na 13.ª posição na semifinal. A americana Leila Vaziri, que já havia batido o recorde de campeonato nas eliminatórias, com 28s25, melhorou ainda mais a marca, ao fazer 28s16.Outros dois novos recordes mundiais foram quebrados, totalizando sete na competição. Michael Phelps detonou sua marca anterior nos 200 m borboleta, que caiu de 1m53s80 para 1m52s09. Já nos 200m livre, o recorde mundial da italiana Federica Pellegrini nas semifinais de terça-feira durou apenas 24 horas. A francesa Laure Manaudou fez 1m55s52, quebrando o tempo de véspera da italiana, 1m56s47.Nas outras provas, o público presente à Rod Laver Arena viu o recordista mundial dos 50 m peito masculino, Oleg Lisogor, da Ucrânia, vencer o americano Brendan Hannsen, campeão dos 100 metros do estilo. Lisogor fez 27s66. E nos 800 m livre, o recordista mundial Grant Hackett, ídolo australiano, teve que se contentar com o 7.º lugar (7m55s39). O campeão foi o tunisiano Oussama Mellouli, com 7m46s95. Mellouli já havia sido prata nos 400 m livre no primeiro dia de competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.