Gaspar Nóbrega/Inovafoto
Gaspar Nóbrega/Inovafoto

Brasileiros têm bom dia e já somam 36 ouros no Chile

Destaque do dia vai para Arthur Zanetti, que conquistou o bicampeonato nas argolas

Nathalia Garcia, enviada especial, Agência Estado

10 de março de 2014 | 21h50

SANTIAGO - Com bons resultados na ginástica e na natação, o Brasil continua na ponta do quadro de medalhas dos Jogos Sul-Americanos, em Santiago. Com 36 ouros, 18 pratas e 25 bronzes, o País soma 79 medalhas no total nesta segunda-feira. Já a Argentina ficou para trás e viu a Venezuela assumir a vice-liderança. Os venezuelanos têm 19 medalhas de ouro, enquanto que os argentinos somam 17 douradas. Entre os 14 países participantes, Bolívia, Guiana e Aruba ainda não conquistaram medalhas na competição.

O destaque do dia foi o ginasta Arthur Zanetti com o bicampeonato nas argolas. O atleta fez uma apresentação sólida e a nota 15.900 rendeu-lhe a vitória. "Foi uma prova muito boa, tirei uma nota legal. Não foi perfeita, agora preciso trabalhar para corrigir algumas coisas e melhorar a pontuação para o Mundial", avaliou o brasileiro, que também tinha vencido a prova em Medellín, na Colômbia, em 2010.

Mais cedo, a ginástica brasileira teve dobradinha no pódio com o ouro de Jade Barbosa e a prata de Isabelle Cruz nos saltos. Na final, a campeã somou 14.599 pontos e a compatriota teve 14.033. O bronze ficou com a chilena Makarena Pinto (13.987). Jade também se destacou nas barras assimétricas e ficou com o segundo lugar. Entre os homens, Péricles Silva conquistou a prata e Francisco Barreto, o bronze.

O último dia da natação nos Jogos rendeu 11 medalhas para o País, incluindo a da equipe feminina no revezamento 4x100 metros medley e da masculina no 4x100m livre. Thiago Pereira confirmou favoritismo nos 400m medley e subiu ao lugar mais alto do pódio. Na mesma prova, Thiago Teixeira conquistou o bronze. Outro destaque foi o jovem Matheus de Santana. Com 49s13 nos 100m livre, o atleta de 17 anos fez o oitavo melhor tempo do mundo.

Nos 200 metros peito, Henrique Barbosa faturou ouro e Tales Cerdeira, a prata. O Brasil também teve dobradinha no pódio com o ouro de Graciele Herrmann e a prata de Alessandra Marchioro na prova dos 50 metros livre. O segundo lugar de Etinne Medeiros nos 100m costas e o terceiro de Natália de Luccas completam a lista da modalidade.

As outras medalhas vieram com o revezamento misto do pentatlo moderno (prata) e com a luta livre. Aline Ferreira foi ouro na categoria até 75 kg, já Wellington Silva (57 kg), Rafael Jesus (74 kg) e Adrian Jaoude (86 kg) conquistaram as suas medalhas de bronze.

OUTROS ESPORTES - A seleção brasileira masculina de handebol atropelou o Uruguai por 37 a 19 e venceu a segunda nos Jogos Sul-Americanos. Com o resultado, continua na liderança do Grupo B. A equipe volta a entrar em quadra pela fase classificatória contra o Paraguai, nesta quarta.

Para o treinador Jordi Ribera, o jogo mostrou mais pontos positivos em relação à estreia da equipe. "Estivemos muito melhor. Tivemos alguns erros no começo, mas logo voltamos a ficar bem e a nossa postura defensiva também melhorou. No segundo tempo, a equipe esteve bastante centrada. A defesa esteve bem, nunca perdeu a consistência e isso é muito bom", avaliou.

Os tenistas brasileiros estrearam com vitória no Chile. Rogério Dutra Silva ganhou do argentino Pedro Cachín por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/4. Já Fabiano de Paula teve mais trabalho para bater o equatoriano Gonzalo Solorzano por 2 sets a 1 - parciais de 6/4, 6/7 e 6/1.

"Já sabia que seria um jogo duro. Cometi alguns erros e ele cresceu na partida. Mas com a ajuda do meu técnico, que me disse para ser mais agressivo, consegui imprimir um ritmo para chegar à vitória. Para mim é um grande orgulho representar o Brasil", disse Fabiano.

Tudo o que sabemos sobre:
esportesJogos Sul-Americanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.