Brasileiros têm fraco desempenho na luta greco-romana

Artilheiro é o destaque e luta pelo bronze; Com ajuda de cubano, Fábio Cunha também luta por medalha

24 de julho de 2007 | 15h21

Ao contrário do boxe, a luta greco-romana continua sendo uma incógnita no cenário brasileiro, o que foi verificado no primeiro dia de competições nos Jogos Pan-Americanos, nesta terça-feira, no Riocentro, uma vez que apenas um dos quatro brasileiros venceu sua luta inaugural.  Veja também:  O quadro de medalhasOs detalhes das modalidades em disputa O lutador Rodrigo Artilheiro venceu o dominicano Carlos Felix nas quartas-de-final da categoria até 120 kg, mas perdeu na semifinal para o cubano Mijail López por 4 a 0. Agora, o brasileiro enfrenta Rafael venezuelano Barreno pelo bronze, na noite desta terça-feira. Outro brasileiro que disputa o bronze é Fábio Cunha, na categoria até 55 kg. O atleta perdeu nas quartas-de-final para o cubano Yagniel Hernandez. Como seu adversário está na final, Fábio Cunha se classifica para a disputa pelo terceiro lugar, que será diante do cubano Jansel Ramirez. Já os lutadores Renato Migliaccio (categoria até 66 kg) e Marcelo Zulu (categoria até 84 kg) perderam em suas respectivas estréias e estão desclassificados.

Tudo o que sabemos sobre:
luta greco-romanaPan 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.