Brasília leva a decisão para o quinto jogo

Time da casa vence o Flamengo por 82 a 78, na prorrogação, e campeão do primeiro título do NBB será conhecido no final da semana, no Rio

BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

22 de junho de 2009 | 00h00

A disputa do título do Novo Basquete Brasil (NBB) vai para o quinto jogo. Depois de uma partida disputadíssima e decidida apenas na prorrogação, o Universo/Brasília venceu o Flamengo por 82 a 78 (70 a 70 no tempo normal) e empatou a série final por 2 a 2. O título será definido no Rio, no próximo fim de semana.O ala do time carioca, Marcelinho, cestinha do jogo com 24 pontos, reclamou da arbitragem. "Espero que no próximo jogo os critérios sejam os mesmos de hoje, quando todas as bolas divididas foram dadas para o Brasília, que era o time da casa", protestou.Ao mesmo tempo, o jogador reconheceu que o Flamengo não foi bem na partida. "Nosso aproveitamento foi baixo no ataque. Mas nós tínhamos esse crédito de poder perder", ponderou. O técnico Paulo Chupeta considerou que o Flamengo apresentou falhas. "Foi um jogo digno de final. Nós escolhemos algumas bolas erradas, que favoreceram o contra-ataque do Universo, mas são bolas corrigíveis", avaliou.Para o armador do Brasília Valtinho, o fato de jogar a última partida no Rio não significa muito favoritismo. "Não tem tanta vantagem. Nós ganhamos na casa deles, eles ganharam na nossa. Vai ser campeão quem se preparar melhor física e psicologicamente", disse, referindo-se ao jogo que será disputado no sábado, às 14 horas ou no domingo às 10 horas.Sobre o jogo de ontem, Valtinho ressaltou a capacidade do grupo de não sucumbir à pressão de ter de evitar, diante da torcida, o título do Fla, que ganhava a série de melhor de cinco jogos por 2 a 1 . "O jogo para nós era decisivo, conseguimos segurar a partida e as jogadas combinadas funcionaram. Todo mundo fez o seu papel. Foi um jogo defensivo, forte nos dois lados."Para o técnico Lula - que para motivar seus jogadores montou um vídeo com declarações dos familiares para ser apresentado na preleção da partida -, o campeonato merecia ter todos os jogos finais. "O público compareceu em peso aos jogos e seria uma pena terminar antes da quinta partida", disse o treinador. Sobre a partida, avaliou com serenidade: "Hoje, nenhum dos times abriu uma vantagem folgada. Todo mundo ficou na corda bamba, mas nossos jogadores vieram muito motivados e envolvidos para este confronto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.