Brasília vai ampliar Mané Garrincha para 71 mil lugares

O projeto de Brasília prevê mais de R$ 3 bilhões de investimento em obras para receber o Mundial de 2014. Desse valor, R$ 600 milhões serão utilizados na reformulação total do Estádio Mané Garrincha, que hoje tem capacidade para 42 mil pessoas e passará a acomodar até 71 mil espectadores, o que o habilitaria a receber os jogos de abertura ou encerramento da Copa.

VANNILDO MENDES, Agencia Estado

31 de maio de 2009 | 16h13

As obras no estádio devem começar em setembro e a inauguração está prevista para dezembro de 2012. O governo usará o critério de agilidade para decidir se fará as obras por licitação ou mediante Parceria Público Privada (PPP). "O tempo é exíguo e não podemos correr riscos", observou Fábio Simão, secretário de Esportes do Distrito Federal.

O estádio terá cobertura em estrutura metálica e membrana tensionada entre os cabos de aço da estrutura principal. A pista de atletismo será rebaixada em quatro metros, permitindo perfeita visibilidade do campo nas arquibancadas superior e intermediária.

O secretário diz que a área da geral será demolida, e em seu lugar será construída uma arquibancada inferior, mais próxima ao campo e com o dobro da capacidade da existente. O projeto prevê ainda 3 subsolos, com estacionamentos privativos, além de quatro vestiários para jogadores, dois para árbitros, dois para gandulas, uma central médica, uma sala de exames antidoping e áreas de apoio.

Em novembro passado, o governo do Distrito Federal inaugurou, no amistoso entre as seleções de Brasil e Portugal, o novo estádio Bezerrão, na cidade-satélite do Gama, que só não será usado na Copa pelo tamanho - com capacidade para 20 mil pessoas, poderá ser usado em treinamento de seleções participantes da competição.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa de 2014sedesBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.