Brawn aposta: desta vez Red Bull ficará para trás

Jenson Button e Rubens Barrichello, da Brawn GP, esperavam começar o GP da Hungria ontem com maior vantagem do que as duas sessões de treinos livres mostraram. Ambos disseram ser fundamental aproveitar o forte calor de Budapeste para voltar a vencer. "A Red Bull vem forte de novo, mas estamos bem mais rápidos aqui", disse Button, líder do Mundial. Hoje será disputada a sessão classificatória para o grid. Como em Mônaco, largar na frente é essencial para a vitória. A Red Bull, time de Sebastian Vettel e Mark Webber, estabeleceu duas dobradinhas nas duas últimas etapas, Grã-Bretanha e Alemanha. Vettel, segundo no campeonato e sexto ontem, previu: "A luta será bem mais apertada nesse circuito muito quente. Não estou contente com meu carro como estava nas etapas anteriores." O mais rápido do dia foi Lewis Hamilton. "Melhoramos mais em relação a Nurburgring e pilotei o melhor carro que tivemos neste ano." Largar na primeira fila no traçado de ultrapassagem quase impossível de Hungaroring poderá levá-lo pela primeira vez neste ano ao pódio. "Dá para sonhar." A primeira Red Bull foi a de Mark Webber, quarto, enquanto a primeira Brawn GP, a de Rubinho, sétimo. Button ficou em 13.º. Chamou a atenção o elevado nível de competitividade: entre o tempo de Hamilton, primeiro, e o de Giancarlo Fisichella, da Force India, o 17º, houve menos de um segundo (950 milésimos).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.